Corretora oferece coletes a quem fizer transferência de qualquer valor Reprodução

XP Investimentos protagonizou nesta 5ª feira (25.jun.2020) novo episódio de conflito com o Itaú Unibanco, instituição que detém 49,9% das ações da corretora de valores.

Por meio das redes sociais, a XP anunciou uma promoção inusitada: doará 1 colete personalizado com a marca da empresa para cada 1 que fizer uma transferência de qualquer valor, via TED, a partir de uma conta do Itaú. Segundo o anúncio, a ação será válida até o esgotamento do estoque de 5.000 coletes e, a cada peça enviada, a corretora doará 1 cobertor para ONGs que prestam assistência social.

A ação da XP é uma resposta a campanha publicitária lançada pelo Itaú Personnalité no início desta semana. Na propaganda, o ator Marcos Veras aparece em duas versões: uma de 2019 e outra de 2020. A 1ª afirma: “A moda aqui em 2019 é ter conta em corretora. Assessor também tá na moda. Insiste o tempo todo: ‘Investe nisso, investe naquilo. Não tem risco’. Estou me sentido o rei de Wall Street”. Já a versão do investidor de 2020, afetado pela crise do coronavírus, retruca: “Aqui em 2020 deu para ver que não tinha risco para ele [assessor financeiro], que ganhava comissão por tipo de investimento. Ainda bem que você deixou seu dinheiro no Personnalité. São especialistas isentos. Aprendeu?

A propaganda despertou a ira das plataformas de investimentos baseadas em agentes autônomos, tal como a XP. O CEO da corretora, Guilherme Benchimol, divulgou na 4ª feira (24.jun) nota rebatendo o Itaú. O texto foi reproduzido em anúncio de página inteira publicado nesta 5ª feira nos principais jornais do país.

Estamos há 20 anos lutando contra 1 sistema financeiro concentrado que nunca inovou e nunca se preocupou com o que realmente importa: o cliente! Tenho certeza que os bancos preferem o Brasil do passado, com juros altos e baixa concorrência, explorando ainda mais os empresários e os investidores individuais”, diz o texto.

A nova campanha do Itaú ataca o comissionamento dos assessores na distribuição de produtos financeiros, como se ganhar dinheiro com o trabalho fosse errado. Sempre fomos transparentes nisso. O assessor é 1 empresário, 1 empreendedor que tem a sua própria empresa e somente sobrevive se a visão for de longo prazo, com 1 cliente realmente satisfeito e muita ética em todas as suas atitudes. Se ele falhar, não poderá mudar de emprego, mas, sim, fechará o seu negócio”, continua.

Também em nota, o Itaú disse estar “aberto ao debate transparente e honesto“. “O Itaú Unibanco acredita que ética independe de modelo e há bons profissionais em todas as configurações, seja um agente autônomo ou um gerente de banco“, disse o maior banco privado do Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui