Bolsonaro estaria perseguindo Witzel porque este seria candidato à Presidência, disse o governador (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), disse nesta sexta-feira que não atrapalhou nenhuma investigação no Estado, que nada justifica seu afastamento do cargo determinada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e chamou de mentirosa a delação do ex-secretário estadual de Saúde Edmar Santos, além de atacar o presidente Jair Bolsonaro.

Decisão do ministro Benedito Gonçalves, do STJ, afastou Witzel do cargo de governador nesta sexta-feira por pelo menos 180 dias e, em pronunciamento à imprensa, o governador disse que está incomodando poderosos que não querem que ele continue no comando do Estado.

Witzel disse ainda que a procuradora responsável pelo caso, que apura supostas irregularidades em contratos do governo estadual, tem ligações com a família Bolsonaro e que o presidente da República quer atingi-lo por acreditar que pode ser candidato à Presidência em 2022.

Agência Reuters

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui