O Borussia M’Gladbach conquistou uma daquelas vitórias para não se esquecer, e de dar pena por não termos um Borussia-Park cheio para comemorar. Depois de sair atrás por dois gols contra o Bayern de Munique, o time da casa buscou virada na entrega e no talento, por 3 a 2, colocando em risco a liderança do time bávaro. Com 33 pontos, o Bayern segue líder para já, mas a partida apenas marcou a abertura da 15ª rodada, e o RB Leipzig, com 31 pontos, pode pular para o topo, embora com missão delicada contra o Borussia Dortmund.

O M’Gladbach, por sua vez, soma 24 pontos e dorme na sexta posição.  Resolvido? Avise os donos da casa O roteiro parecia ser o mesmo de tantos outros jogos do Bayern de Munique. Mesmo sem jogar a todo seu potencial, o atual campeão de tudo abriu vantagem confortável antes dos 30 minutos, em um misto de sorte, talento e eficiência. Mas não foi bem o que aconteceu.

O primeiro gol foi um presente de Neuhaus, com pênalti infantil ao esticar a mão para tocar a bola na área. Lewandowski converteu a cobrança. O segundo foi em jogada coletiva e que terminou com chute venenoso de Goretzka da entrada da área, entre Sommer e a trave. Jogo definido? Talvez o Bayern tenha pensado assim.

Mas não para a dupla Stindl e Hofmann. Antes do intervalo, duas assistências daquelas milimétricas do primeiro para duas definições precisas do segundo, com o empate em 2 a 2 recolocando o M’Gladbach no jogo. A redenção de Neuhaus O Bayern parecia nas cordas e o apito do árbitro soou como o gongo salvador no boxe.

Mas a verdade é que a pausa não foi suficiente para o gigante bávaro se recuperar. Ainda cambaleante no início do segundo tempo, o time de Flick foi ao chão antes dos cinco minutos. O gol da virada ironicamente saiu do vilão do primeiro tento do Bayern.

Neuhaus recebeu na meia-lua e bateu com força no ângulo. Um belo gol para se redimir na partida. Depois de tanta entrega, o M’Gladbach cansou no fim da partida e teve de se fechar atrás.

Soube sofrer, e também com um toque de sorte na pressão final do Bayern, saiu com o orgulho de derrubar o gigante bávaro de virada.

O Gol 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui