A invencibilidade tricolor no Grenal chegou ao fim com requintes de crueldade colorada. O embalado líder do Brasileirão contou com dois gols nos minutos finais para virar por 2 a 1, encerrando a seca no clássico e disparando na liderança do campeonato. O torcedor colorado pode ter tido de esperar mais do que gostaria para ver seu time voltar a vencer um Grenal, mas desta vez a satisfação foi plena.

Com 62 pontos, o Inter abriu quatro de vantagem sobre o São Paulo e, de quebra, praticamente encerrou com as chances do Grêmio no Brasileiro, com 51 pontos (e um jogo por fazer). Domínio colorado esbarra no travessão Dois times com características distintas. O Grêmio com a bola nos pés. O Inter, com intensidade e verticalidade.

Restava saber que estratégia seria melhor executada no Grenal deste domingo. E no primeiro tempo quem esteve melhor foi o Colorado. O primeiro susto para o torcedor tricolor veio de chute de Praxedes, no centro do gol, mas com muita força, forçando Vanderlei a espalmar de forma desajeitada. Não demorou para Yuri Alberto também aparecer com perigo, tentando o giro sobre Pedro Geromel na área para finalizar.

O zagueiro quase foi batido, mas conseguiu ler a jogada e bloqueou o arremate com carrinho preciso. A melhor oportunidade, no entanto, estava por vir. Aos 34 minutos, Edenílson encontrou Praxedes na altura da marca do pênalti. O meia desviou levemente para Yuri Alberto, que chegou batendo. A bola desviou de leve em Vanderlei e estourou no travessão, para sorte do goleiro.

O Grêmio até foi para o intervalo com superioridade na posse de bola, mas sem conseguir criar. Jean Pyerre, em especial, estava em dia pouco inspirado e perdeu em duas ocasiões a oportunidade para imprimir velocidade em contra-ataques que poderiam ser perigosos. E o pior: o Tricolor perdeu ainda Geromel, machucado. Grêmio cresce, mas leva virada no fim Parecia que a história seria parecida na segunda etapa. Logo no início, em jogada de cobrança de lateral, a bola sobrou para Peglow, na pequena área, mandar por cima do gol.

Mas o que se viu depois foi um domínio crescente do Grêmio. Antes inofensivo, o time de Renato Gaúcho começou a testar Marcelo Lomba com frequência. Em uma destas oportunidades, Diego Souza saiu em boa condição para finalizar e tentou por cobertura, errando por pouco o alvo. O atacante ainda passaria perto em toque de cabeça na sequência.

De tanto tentar, o Grêmio acertou o alvo aos 30 em contra-ataque veloz pela esquerda. Diogo Barbosa arrancou até a quina da área e rolou para o centro para Diego Souza, que desviou de primeira para Jean Pyerre. Livre na frente de Lomba, o meia não falhou. O Inter só acordou para o segundo tempo depois do gol.

Mas os minutos finais foram de pressão colorada. E a coragem foi recompensada. No último minuto do tempo regulamentar, Victor Cuesta levantou na área e Abel Hernández desviou de cabeça para empatar.

Não parou ali a reação. Nos acréscimos, a bola desviou no braço de Kannemann e o árbitro marcou pênalti. Edenílson converteu a cobrança e fez o torcedor colorado explodir em êxtase. Melhor forma para acabar com a seca impossível.

O Gol 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui