Leon Nascimento, acusado de executar o ex-prefeito de Bayeux, Expedito Pereira, assinou um acordo de delação premiada com o Ministério Público da Paraíba e prestou depoimento contando a sua versão sobre o homicídio praticado por ele.

Na primeira parte, ele afirma que deixou de trabalhar para ajudar Ricardo Pereira na campanha de vereador, contou que descobriu um processo de Ricardinho responde por não ter devolvido um carro a uma locadora de veículo, que descobriu após a campanha que o sobrinho do Dr. Expedito tinha arma e o levou até um estande para praticar tiro antes do crime.

Primeiras Notícias 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui