“Vigilante ao extremo e o diálogo é a peça fundamental no processo de gestão púbica”, foi o que afirmou nesta quarta-feira (25) a reportagem do Paraíba Urgente, o vereador socialista Marinaldo dos Santos do PSDB, quando apelou para a Secretaria  Municipal de Educação de Santa Rita-PB, para que seja inclusa no Planejamento Anual de 2022 seja realizada doação de Absorvente íntimo para alunas (Jovens) que está sendo motivo e causando evasão na frequência escolar nas escolas municipal de Santa Rita, principalmente as famílias de baixa renda que são vítimas em período de Pandemia, alertou o vereador.

O vereador Marinaldo dos Santos disse ao Paraíba Urgente que seu Gabinete Popular está aberto, atento e ouvindo as demandas da população e, detectou essa questão que acontece com as jovens em período menstrual, e que segundo o vereador, chegou a conversar com secretária de educação e que foi confirmada a ausência das jovens na sala de aula nesse período, tanto antes (pré) e período de Pandemia, e a maior causa da evasão conforme a secretária de educação é a timidez nessas jovens em relatar o problema para em quem confiar, por isso, preferem está prejudicada. Marinaldo dos Santos disse também que a pandemia é o maior causador de doenças que mexeu com nossa economia e o emprego, principalmente nas famílias de renda baixa e o subemprego, que o caso requer estudo por parte da gestão pública que é também caso de saúde pública. O parlamentar revelou que foi preciso coragem para trazer o tema para discussão que a matéria foi aprovada a unanimidade e esperamos que a secretária de educação absorva no orçamento e atenda as jovens e que evite a evasão na sala de aula das escolas de Santa Rita, justificou o socialista Marinaldo dos Santos.

O vereador Marinaldo relatou a reportagem de posse de dados atualizados em relação as Jovens que o maior causador dos problemas nas famílias de renda baixa é a falta de recursos para higiene no período menstrual é um drama que afeta milhões de brasileiras. Marinaldo dos Santos disse que Médicos defendem medidas urgentes para lidar com o problema, podendo estender ainda mais para uma depressão causando a morte.

Dados 

A menstruação é um processo natural do ciclo reprodutivo feminino, começando na puberdade — em média, aos 13 anos — e encerrando por volta dos 50. Apesar de ser algo rotineiro, ocorrendo uma vez por mês (caso não haja fecundação), o assunto ainda é tabu para muitas pessoas, cercado de desinformação e falta de acesso a absorventes e outros itens de higiene.

Relatório das Nações Unidas 

O relatório Pobreza menstrual no Brasil: desigualdades e violações de direitos, publicado recentemente pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), evidencia a urgência em políticas públicas de saúde para zelar pela dignidade humana de meninas e mulheres que sofrem cotidianamente com a escassez de condições adequadas para o período menstrual.

Pobreza Menstrual

Pobreza menstrual é uma expressão utilizada para denominar a falta de acesso a produtos de higiene menstrual, de infraestrutura sanitária adequada em casa e na escola e de conhecimentos necessários para esse período do ciclo reprodutivo. As brasileiras que mais sofrem com essa situação são as que vivem em condições de pobreza e vulnerabilidade em ambientes rurais ou urbanos.

Levantamento IBGE

O levantamento analisou dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de meninas entre 10 e 19 anos por meio da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS 2013), da Pesquisa Nacional de Saúde Escolar (PeNSE 2015) e da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF 2017-2018), totalizando 15,5 milhões de brasileiras.

Infraestrutura e questão Social 

Em se tratando dos domicílios, cerca de 713 mil meninas vivem sem acesso a banheiros, 900 mil não têm acesso a água canalizada e 6,5 milhões não possuem redes de esgoto em casa. Quando o assunto é infraestrutura escolar, 321 mil alunas estudam em estabelecimentos que não possuem banheiros em condições de uso. Mais de 4 milhões de meninas não possuem à sua disposição algum requisito mínimo de higiene, como papel, água ou sabão.

O vereador Marinaldo dos Santos (PSDB) disse a reportagem do Paraíba Urgente que vai continuar o dialogo referente ao tema com a secretária de Educação Edilene dos Santos que demostrou sensibilidade com a pauta e que por sinal é mulher, e que abre a facilidade do tema para que seja criada pelo executivo uma possibilidade de constitucionalidade para doação “Absorventes Íntimo para alunas” (Jovens alunas) por meio de um lei por meio da saúde e educação nas escolas, o parlamentar disse também devido a importância do tema se for preciso formará uma comissão na Câmara de Santa Rita para discutir e criar soluções para evitar a evasão escolar, com a alimentação que é exclusividade nas escolas que é o pilar de sustentação dos alunos na sala de aula. Marinaldo disse também que no período da formação da peça orçamentária vai levar a discussão nas audiências públicas para o plenário da casa de Antônio Teixeira antes de sua aprovação, frisou.

Pobreza menstrual, um problema de política pública

Paraíba Urgente 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui