Presidente do PTB, Roberto Jefferson aparece em vídeo sugerindo cristãos a se armar contra fechamento de igrejasReprodução

O Twitter removeu neste domingo (4.abr.2021) um vídeo em que o ex-deputado federal e presidente do PTB, Roberto Jefferson, aparece sugerindo que cristãos devem se armar contra o “Satanás que quer fechar igrejas e impor o comunismo no Brasil”.

No vídeo, Jefferson diz que vai mostrar aos cristãos o “kit-anti Satanás”.

O político afirma que fiéis dei igrejas precisam de uma balaclava –tipo de touca com abertura para os olhos. “A hora que chegar o Satanás para fechar igreja você não pode respirar o ar do Satanás, para não adoecer”, disse. Jefferson orienta que 20 cristãos “decididos” usem a balaclava.

Roberto Jefferson orienta cristãos a usarem balaclavaReprodução

Jefferson afirma é preciso encontrar “o Satanás armado”. Com um arma aparentemente de brinquedo nas mãos, ele afirma: “Esse, um irmão patriota bota fora de combate”.

No vídeo, Jefferson apresenta outros instrumentos, como cabo de enxada e taco de beisebol. Segundo o político, os objetos devem ser usados para bater no braço do “Satanás” que estiver com lata de spray de pimenta na mão. Outro artefato que aparece no vídeo é um chicote. “A maneira de se exorcizar o Satanás é no chicote”, declarou.

Ex-deputado diz que é preciso bater com cabo de enxada no braço do “Satanás” que estiver com lata de spray de pimenta na mãoReprodução

O vídeo foi publicado na 6ª feira (2.abr), em um perfil não verificado de Jefferson no Twitter. A conta do ex-deputado está “retida” pela rede social.

A reportagem não conseguiu contato com a assessoria de Roberto Jefferson.

STF LIBERA CULTOS E MISSAS

No sábado (3.abr), o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) liberou a realização de cultos e missas em todo país. As atividades religiosas haviam sido suspensas por Estados e municípios, por causa da alta no número de infecções pela covid-19 e de mortes pela doença.

Depois da decisão, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), havia dito que não obedeceria a determinação, e que manteria igrejas fechadas. Depois de ser intimado pelo magistrado, Kalil voltou atrás e liberou os cultos.

Neste domingo (4.abr), o ministro do STF Marco Aurélio criticou a liberação de cultos e missas. Disse que vê a medida com “muita preocupação” e que não cabe ao Judiciário a decisão de “abrir ou fechar”.

Poder360

Compartilhar:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui