Manifestações à Istambul, na Turquia, contra as caricaturas do jornal satírico Charlie Hebdo, em 13 setembro de 2020.
 AFP – OZAN KOSE

Um procurador turco pediu nesta sexta-feira (26) a prisão de quatro jornalistas da publicação satírica francesa Charlie Hebdo. Ele acusa o jornal de ter “insultado” o presiente Recep Tayyip Erdogan em uma caricatura publicada no ano passado.

Segundo a agência de notícias estatal turca Anadolu, os colaboradores de Charlie Hebdo acusados são a caricaturista Alice Petit e três responsáveis do jornal, Gérard Biard, Julien Sérignac e Laurent Sourisseau, conhecido como Riss.

A publicação da caricatura, em outubro, causou a indignação de Erdogan em um contexto de tensões diplomáticas entre Ankara e Paris. No desenho, o presidente turco em roupas íntimas, com uma cerveja na mão, levanta o vestido de uma mulher que tem os cabelos cobertos com o véu, e grita “Oh! O profeta!”.

Na acusação, que ainda deve ser formalmente aceita por um tribunal para que o processo seja aberto, o procurador turco estima que a caricatura “não entra de nenhuma maneira nos parâmetros de liberdade de expressão ou de imprensa”, qualificando o desenho de “vulgar, obsceno e vergonhoso”.

Dezenas de jornalistas presos

Após a publicação da caricatura, Erdogan denunciou um “ataque desprezível” cometido por “malandros”. Na época, o chefe de Estado turco acusou o presidente francês Emmanuel Macron de “islamofobia” por ter defendido o direito de fazer caricaturas do profesta Maomé.

O anúncio da acusação de jornalistas de Charlie Hebdo acontece dias depois de Marcron acusar a Turquia de “ingerência” e em plena polêmica na França sobre o financiamento de uma mesquita apoiada por uma associação pró-Turquia, em Estrasburgo, no leste do país.

A ONG Repórteres sem fronteiras (RSF) denunciou na sexta-feira as acusações contra os jornalistas, acusando Ankara de “ampliar a censura para além da Turquia”. Regularmente criticado pela ONG, o país está na 154o posição, entre 180, na classificação da liberdade de imprensa publicada pela RSF. Dezenas de jornalistas foram presos e vários órgão de imprensa de oposição perseguidos ou fechados nos últimos anos na Turquia.

Noticiário Francês 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui