Foto: Ascom

A 2ª Câmara do Tribunal de Contas da Paraíba determinou, nesta terça-feira (24), a devolução de R$ 425 mil aos cofres públicos pelo ex-presidente da Câmara de Vereadores de Cabedelo, Lúcio José do Nascimento Araújo, por despesas efetuadas com servidores comissionados, e consideradas irregulares devido à falta de comprovação dos serviços. Cabe recurso.

Houve aplicação de multa de R$ 11,7 mil ao ex-gestor após julgamento irregular da prestação de contas examinada nos autos do processo 05678/19, relativa ao período em que exerceu a função – de 1º de janeiro a 3 de abril de 2018.

Época em que os pagamentos beneficiaram ocupantes de cargos comissionados apontados como “servidores fantasmas” no âmbito da “Operação Xeque Mate”.

Em defesa, o ex-presidente alegou que os cargos comissionados foram criados por lei e que a prestação de serviços pela maioria desses servidores ocorria à noite, sempre no horário das 19 às 23 horas, em sessões itinerantes do Poder Legislativo.

Por falta de documentação comprobatória nos autos, a alegação não foi aceita pelo relator da matéria, conselheiro em exercício Antônio Cláudio Silva Santos, que votou pela reprovação das contas e imputação do débito, seguindo relatórios do órgão auditor e parecer do Ministério Público de Contas.

No mesmo processo, e do mesmo exercício, também aconteceu o julgamento, pela regularidade, das contas da então presidente da Câmara de Cabedelo, Geusa de Cássia Ribeiro Dornelas, que exerceu a presidência no período de 04 de abril a 31 de dezembro de 2018.

Na sessão do último dia 19/11, a 1ª Câmara (outra instância colegiada do TCE-PB) determinou nos autos do processo 04532/16 – e igualmente pelo mesmo motivo de despesas irregulares com servidores comissionados – a devolução aos cofres públicos do valor de R$ 307 mil, pelo também ex-presidente da Câmara de Cabedelo, Lucas Santino da Silva.

Contas aprovadas de 2019 – Na mesma sessão o colegiado julgou regulares as prestações de contas, referentes 2019, das Câmaras Municipais de Mogeiro, Junco do Seridó, São José da Lagoa Tapada, São José do Brejo do Cruz e São Domingos; e regular com ressalvas as contas da Câmara de Vereadores de Bom Jesus.

As contas de 2019 da Câmara de Alcantil, de responsabilidade de dois gestores, receberam julgamentos distintos: regular para o período exercido pelo gestor Inácio Cicero dos Santos; e regular com ressalvas o do então presidente William Henrique da Silva.

Também foram aprovadas, com ressalvas, as prestações de contas das Câmaras Municipais de Santa Rita e de Itabaiana, ambas do exercício de 2016. E, ainda, do Serviço Autônomo de Água e Esgotos da Baia da Traição, do ano de 2018.

Exame do processo 09876/20 resultou no julgamento pela regularidade com ressalvas da Dispensa de Licitação nº 092/2020, da Secretaria de Estado da Saúde, objetivando a compra emergencial de kits de testes rápidos para detecção da Covid 19.

A sessão nº 3.014 da 2ª Câmara serviu ainda ao exame de processos relativos a outros procedimentos licitatórios em pauta, denúncias e representações, recursos e verificação de cumprimento de decisões anteriores da Corte.

Além de dezenas de pedidos de aposentadorias e pensões de servidores públicos e/ou dependentes.

Presidida pelo conselheiro André Carlo Torres Pontes, contou com as presenças do conselheiro Antônio Gomes Vieira Filho e do conselheiro em exercício Antônio Cláudio Silva Santos.

Além do procurador Marcílio Toscano Franca Filho, atuando pelo Ministério Público de Contas.

ParaíbaOnline 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui