Raymundo Yasbeck Asfora morreu aos 56 anos no dia 6 de março de 1987 na Granja Uirapuru, zona rural de Campina Grande. Seu corpo foi encontrado com um tiro na cabeça e desde então as investigações foram muitas a fim de revelar se ele teria atentado contra a própria vida ou teria sido assassinado. Ao fim do processo, ficou concluído que se tratou de homicídio, mas o autor ou autores jamais foram identificados. Essa morte envolta em mistério é o tema de “Asfora: uma morte, uma polêmica” (349 páginas) que o desembargador Leandro Santos, do Tribunal de Justiça da Paraíba, vai lançar no dia 12 de agosto às 17 horas no no Instagram @livrariadoluiz, em parceria com @livrolive.

A edição conjunta da Trindade Editorial e Ideia editora marca o início do selo criado pelo professor, advogado e jornalista João Trindade. “Sem dúvida, a morte do tribuno ficou envolta num mistério insondável e insolúvel, tantas as controvérsias e incoerência existentes nas diversas versões sobre o ocorrido; inclusive, presentes no próprio inquérito”, explicou Trindade que assina o prefácio da obra.

O desembargador Leandro Santos era juiz de 1ª instância à época da morte de Asfora, chegou a atuar no processo, e procura relatar nesse livro – de forma neutra e imparcial – detalhes primorosos e fundamentais, todos os passos e meandros do caso, numa linguagem acessível a qualquer pessoa, ainda que não tenha familiaridade com a área jurídica.

ParlamentoPB

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui