Foto: Ascom

O Superior Tribunal de Justiça determinou o bloqueio de R$ 23,4 milhões dos investigados na 9ª fase da Operação Calvário realizada nesta terça-feira (27) no Estado da Paraíba e em Brasília.

O ministro Francisco Falcão acatou pedido da subprocuradora-geral da República, Lindôra Araújo, para bloquear entre R$ 1 milhão e R$ 2,6 milhões nas contas de cada um dos investigados na ação proposta pelo Ministério Público Federal.

A subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo, designada pelo procurador-geral, Augusto Aras, para atuar nos processos criminais perante o STJ, também requereu a imposição de medidas cautelares ao advogado Diogo Mariz investigado pelo esquema, como a proibição de frequentar as dependências do TCE/PB e a suspensão do exercício da atividade advocatícia perante o órgão e em contratos com entes públicos.

Nesta 9ª fase da Operação Calvário foram expedidos seis mandados de busca e apreensão, pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), nas cidades de João Pessoa, Cabedelo e em Brasília/DF.

Na Paraíba, foram alvo desta fase o ex-governador Ricardo Coutinho, candidato a prefeito de João Pessoa pelo PSB, o ex-procurador do Estado Gilberto Carneiro, o conselheiro do TCE da Paraíba, Arthur Cunha Lima e mais pessoas pessoas, além de quatro empresas e que tiveram os bens bloqueados.

Confira a relação dos investigados com bens bloqueados.
Ricardo Coutinho: R$ 2,2 milhões
Gilberto Carneiro: R$ 2,2 milhões
Arthur Cunha Lima: R$ 2,2 milhões
Arthur Cunha Lima Filho: R$ 2,2 milhões
Diogo Mariz: R$ 2,2 milhões
Maia & Mariz Advogados Associados: R$ 2,2 milhões
Sérgio Ricardo Ribeiro Gama: R$ 1 milhão
SG Construções E Locações de Máquinas e Equipamentos: R$ 1 milhão
Cidade Inteligente Goiana Construções: R$ 1 milhão
Sérgio Ricardo Ribeiro Gama Filho: R$ 1 milhão
Seven Softweres Sistemas e Serviços: R$ 1 milhão
Sumário Editora, Comércio e Distribuidoras de Livros, Revistas e Periódicos, Representações e Gráfica: R$ 1 milhão
Lúcio Parede Cunha Lima: R$ 1 milhão
Keydison Samuel Sousa Santiago: R$ 2,6 milhões

Por Hacéldama Borba, do Paraíba Online 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui