Pelo sexto domingo consecutivo, Alexandr Lukashenko, presidente de Belarus, segue sendo alvo de intensos protestos.

Ignorando a intensa repressão policial e as ameaças de perseguição judicial, dezenas de milhares de bielorrussos foram às ruas para pedir a renúncia do mandatário.

A manifestação de hoje, convocada pelas redes sociais como uma “marcha pela justiça”, reuniu cerca de 50 mil pessoas na capital, em Minsk.

O dia terminou com dezenas de pessoas detidas, segundo a rádio Jovem Pan.

Depois do meio-dia, as autoridades de Minsk bloquearam o acesso ao Palácio da Independência e à Suprema Corte, onde instalaram arame farpado e uma dezena de carros blindados.

Seis estações do metrô da capital foram fechadas para “garantir a segurança dos passageiros”, explicou Natalia Gahusevich, porta-voz da Polícia de Minsk,.

Quase simultaneamente ao início do protesto, os usuários de internet móvel começaram a experimentar problemas de comunicação.

Renova Mídia 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui