A pandemia de Covid-19 provocou uma queda de 93% no número de passageiros do metrô da cidade norte-americana de Nova York, levando centenas de sem-abrigos a fazer dos bancos de estações e vagões uma nova ‘casa’.

Embora as autoridades tenham já disponibilizado vários centros de abrigo (e até mesmo hotéis) para estas pessoas pernoitarem, o elevado número de mortes tem levado a que muitas delas prefiram encontrar soluções alternativas.

Uma reportagem realizada pela agência de notícias Reuters mostra a dura realidade que se vive no metrô de Nova York. Sylver, um imigrante nigeriano que vive nas ruas há 12 anos conta um pouco sobre a rotina.

“Bem, neste momento, sim, estou preocupado com a doença. Mas sabe que mais? Dou o meu melhor para me proteger deste coronavírus. Tenho um belo casaco e tenho uma máscara”, afirmou.

“Assim, já sei que não pego mais. Muitas pessoas estão morrendo em centros de abrigo, e por isso acho que os centros de abrigo são maus”, completou.

Minuto ao Minuto 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui