Marcão sente-se mais maduro como técnico e sabe bem o que quer. Substituto de Odair Hellmann em 2020, como foi de Fernando Diniz em 2019, o auxiliar permanente do Fluminense quer mesclar o melhor dos dois mundos em um time “Seguro, equilibrado e com posse de bola”. Que o torcedor do Fluminense, no entanto, não espere medidas drásticas no momento.

Marcão quer antes de tudo dar continuidade ao trabalho de Odair Hellmann enquanto vai, aos poucos, dando os seus toques. “A gente pretende manter tudo de bom que o professor deixou. O grupo tem uma maneira de jogar hoje. E a pessoa que sentar aqui hoje tem que respeitar isso. Nossa equipe vai competir, vai marcar forte. Isso que a gente pretende fazer”, explicou.

“O que a gente puder contribuir, da maneira que o Marcão gosta de jogar, a gente vai tentar fazer. Vamos ver se o grupo recebe bem, mas a princípio vamos fazer o que o professor já vinha fazendo, dar continuidade ao processo, que é vencedor para esse Campeonato Brasileiro”, disse. Odair + Diniz com toques de Renato e Oswaldo Mas qual a “maneira Marcão” de jogar?

O técnico não se esquivou da comparação com os seus principais antecessores e garantiu que trará um pouco de Diniz ao futebol do Fluminense. “Seguro, equilibrado e com posse de bola. É isso que vamos tentar para a nossa equipe. A segurança e o equilíbrio do professor Odair, mas com a posse de bola costumeira que foi característica de nossa equipe.

A gente gosta de comandar o jogo, a gente gosta de criar as ações, a gente realmente gosta de tomar conta da situação. Se a gente conseguir mesclar essas ações, realmente é o que queremos fazer”, analisou. “A gente respeita o trabalho desses treinadores que passaram por aqui. O Diniz é uma grande pessoa, que a gente tem um carinho muito grande.

O Odair é recente, uma pessoa maravilhosa, junto com o Dulac (Maurício). São pessoas que construíram coisas positivas dentro do clube e a pessoa que senta aqui tem de ter a inteligência de pegar essas coisas boas que esses treinadores colocaram e tentar colocar para esses meninos dentro do campo”, explicou.

Além de Odair e Diniz, Marcão citou o bom relacionamento com Oswaldo de Oliveira – outro técnico com quem trabalhou recentemente – além de destacar o trabalho de Renato Gaúcho, hoje com sucesso no Grêmio. Referências reconhecidas para o treinador tricolor. “Marcão tentou pegar o melhor de cada um para fazer o estilo do jogo do Marcão.

Hoje, no meu entendimento, do que gosto de ver e acompanho de futebol no mundo, Marcão é um cara que gosta de propor o jogo. Também entende o momento que tem de atacar e tem de marcar lá em cima, mas também o momento de se guardar atrás e buscar as transições ofensivas”, resumiu.

O Gol 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui