Governo federal retirou R$ 83,9 milhões que seriam usados no programa para destinar à Secom

Nenhum beneficiário do Bolsa Família foi prejudicado pela decisão do governo de transferir recursos do programa para a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência (Secom). A afirmação foi feita nesta sexta-feira (5) pelo secretário especial da Fazenda, Waldery Rodrigues.

Conforme portaria publicada quinta (4), o governo federal retirou R$ 83,9 milhões que seriam usados no programa para destinar à Secom. A medida atinge os recursos previstos para a região Nordeste do País, e o dinheiro será utilizado para comunicação institucional, ou seja, para fazer publicidade das ações da gestão de Jair Bolsonaro. O valor total destinado ao Bolsa Família no ano inteiro é de R$ 32,5 bilhões.

Waldery lembrou que o governo decidiu prorrogar o auxílio emergencial por duas parcelas e que, depois da medida provisória que previa o pagamento permanente do 13º para o Bolsa Família caducar, o governo analisará o espaço orçamentário para a medida neste ano.

“O custo do 13º do Bolsa Família deve ser de cerca R$ 2,5 bilhões. Alocaremos recursos para pagamento do Bolsa Família conforme decisão política”, completou.

Questionado do porquê da transferência de recursos do programa para publicidade institucional, e não para ações relacionadas à Covid-19, por exemplo, Rodrigues disse que o Ministério da Economia atende demandas setoriais e que o valor “é muito pequeno” em comparação aos mais de R$ 150 bilhões destinados ao combate da pandemia.

*Com Estadão Conteúdo

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui