Nesta sexta-feira, apesar do bloqueio ao calçadão de Bangu, muitas pessoas foram às ruas na região Foto: Hermes de Paula

A Prefeitura de São Gonçalo anunciou nesta sexta-feira que vai aderir ao lockdown para combater o novo coronavírus. A ampliação das medidas de isolamento no município começa nesta segunda-feira e vai até o dia 15, podendo ser prorrogada, caso não haja uma diminuição do número de casos confirmados na região.

As medidas foram divulgadas um dia depois de Niterói, cidade vizinha, decretar o lockdown para o mesmo período. Lá, o prefeito Rodrigo Neves estabeleceu uma multa de R$ 180 para quem permanecer em ruas, praias e praças.

O mesmo pode acontecer em São Gonçalo. Segundo a prefeitura, fica estabelecido o “isolamento social rígido, com fechamento total de todos os estabelecimentos não essenciais”. E pessoas que estiverem circulando por vias públicas ou privadas sem vínculo com serviços essenciais serão penalizadas.

Nesta sexta-feira, um dia após bloquear o calçadão de Campo Grande, na Zona Oeste da capital, a Prefeitura do Rio fechou o acesso ao calçadão de Bangu, na mesma região. Apesar da medida, no entanto, muitas pessoas circulavam no local pela manhã, e foram registradas grandes filas para acessar bancos e lojas. Algumas usavam máscaras, mas não respeitavam o distanciamento de 1,5m.

Segundo a Secretaria de Ordem Pública, Realengo, Santa Cruz e outros bairros da Zona Oeste também deverão ser incluídos na lista dos que terão estabelecimentos com funcionamento restrito. A pasta também estuda estender a medida para bairros da Zona Sul.

Comissão para analisar

O governador Wilson Witzel criou nesta semana a Comissão Ciência RJ no Combate à Covid-19, um grupo multidisciplinar para avaliar, entre outros fatores, a adesão da população ao isolamento social.

— Hoje, a fila para a UTI é a fila para o enterro — critica o oncologista Daniel Tabak, um dos membros da comissão: — A rede hospitalar não dá conta, e muitas pessoas morrem em casa. Mas como vamos impedir as pessoas de circularem nas ruas se não houver como garantir sua subsistência?

Segundo Tabak, a instituição do lockdown é política, mas fundamentada em dados epidemiológicos, fornecidos por profissionais de saúde. A participação de economistas e cientistas sociais seria imprescindível.

Na noite desta sexta-feira, no entanto, Witzel disse que, por enquanto, não pensa no bloqueio total para o combate ao coronavírus. O momento, segundo ele, é de aumento na fiscalização. (Com apuração do G1)

Os serviços essencias de São Gonçalo

Farmácias: deverão funcionar somente para entrega e retirada de produtos, sendo proibida a permanência continua ou a aglomeração no local.

Compras: supermercados, mercados e centros de abastecimento de alimentos, além de padarias.

Pet Shops: funcionarão somente para entrega e retirada, e, assim como as farmácias, não podem ter aglomeração e muitos clientes ao mesmo tempo.

Postos: o abastecimento dos veículos será autorizado.

Restaurantes: só podem funcionar para entregas, assim como as lanchonetes.

Obrigatoriedades: o uso de máscaras será obrigatório. E além de fornecer álcool em gel aos clientes e funcionários, os estabelecimentos deverão atentar para a necessidade de afastamento entre as pessoas, com a distância mínima de 1,5m. Além disso, terão a responsabilidade de fazer a higienização frequente do piso e dos equipamentos.

Emergências: serão permitidos os deslocamentos para clínicas médicas, odontológicas, de vacinação, fisioterapia, laboratórios de exames clínicos e de imagem; assistência veterinária; delegacias; prestar assistência ou cuidados a idosos, crianças, portadores de necessidades especiais e população socialmente vulnerável.

Extra Online 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui