Com direito a “VAR premiado” e gol surpresa nos minutos finais, o Santos venceu Libertad-PAR por 2 a 1, nesta quinta-feira (12), na Vila Belmiro, pelo jogo de ida das quartas de final da Copa Sul-Americana. Carlos Sánchez abriu o placar, enquanto Bocanegra descontou pelos visitantes. Barboza marcou contra para fechar o placar.

O Peixe contou com a ajuda do árbitro de vídeo para marcar um pênalti. Enquanto a bola rolava normalmente, Leodan Gonzalez foi avisado no ponto sobre uma bola na mão de Diego Vieira. Em um final dramático, Lucas Braga arrancou pela esquerda, cruzou e viu Barboza marcar contra para concretizar a vitória santista.

Com o resultado, o Santos depende um empate para chegar às semifinais. A decisão ocorrerá na próxima quinta-feira (19), no estádio Defensores del Chaco, às 21h30, pelo jogo de volta das quartas de final da competição continental.

O Santos teve um bom início de jogo, apesar da dificuldade para ficar com a bola. Os paraguaios pressionaram a saída de bola e dificultaram para os defensores, mas o Peixe conseguiu escapar e jogou melhor quando criou pelo meio-campo. Pelas laterais, os santistas abusaram dos cruzamentos, que não resultaram em nada.

João Paulo não demorou para ser acionado. O goleiro teve pelo menos duas defesas difíceis para livrar o Santos de sair atrás. Apesar do time da casa chegar mais vezes ao ataque, errou muitos passes e entregou chances ao Libertad.

O Santos teve maior volume de jogo. Apesar da quantidade de cruzamentos e o pouco perigo, foi o time que mais furou a defesa. E, em um dos ataques, foi premiado com um pênalti achado pelo VAR.

A bola rolava normalmente na Vila Belmiro, mas o árbitro de vídeo chamou Leodan Gonzalez no ponto para avisar toque de mão em Diego Vieira em disputa de bola com Lucas Braga. Após a confirmação, Carlos Sánchez abriu o placar com um chute forte no canto direito.

Nesta noite, Diniz optou por não utilizar Marcos Leonardo, que fez jogos medianos nas últimas rodadas. Para confundir os paraguaios, o treinador usou Pirani como falso 9. E deu certo. A movimentação do jovem dificultou a marcação do Libertad e abriu espaços na defesa.

Com a vantagem no placar, o Santos retornou elétrico para o segundo tempo. Rápido e dinâmico. Mas, durou pouco. Os estrangeiros encaixaram um contra-ataque e Melgarejo saiu cara a cara com João Paulo. Kaiky fez a falta para evitar o empate e acabou expulso.

Kaiky até tentou evitar, mas o empate veio. A falta foi logo na entrada da área e Bocanegra não desperdiçou, mandou um foguete no canto direito de João Paulo, que não alcançou.

Apesar de tomar o empate, o Santos não diminuiu o ritmo. Praticamente na sequência Lucas Braga deixou dois marcadores para trás e deu belo passe para Felipe Jonatan, mas a bola parou na defesa. Braga, aliás, foi quem mais tentou. Infernizou a defesa, mas nem sempre encontrava alguém disponível na área.

O time de Diniz já apresentava cansaço, mas ele demorou a mexer. Após alguns minutos de pressão dos paraguaios, que se aproveitaram da vantagem numérica, o Santos surpreendeu com ótimo lançamento de Braga para Felipe Jonatan. O lateral adentrou a área e teve a melhor chance de desempate, mas errou o passe e a bola parou na defesa. A comissão técnica, que assistiu o jogo da arquibancada, levantou, aos gritos, e lamentou a chance clara perdida.

Na etapa final, o Santos agrediu foi quem mais chegou ao ataque. Com isso, encontrou um gol “surpresa” nos segundos finais com ótima criação de Lucas Braga. Barboza marcou contra. Dessa vez, a comissão comemorou como se fosse um título.

Paraná Portal

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui