Ruy Carneiro – (Foto: André Pereira | Sistema Arapuan de Comunicação)

O deputado federal Ruy Carneiro (PSDB), durante entrevista nesta sexta-feira (7), foi mais um parlamentar que defendeu a possibilidade de bloco único da oposição na disputa para as eleições majoritárias de 2022 na Paraíba, mesmo que aja divergências em âmbito nacional. O parlamentar citou que os cenários são diferentes e que não vê problemas em dividir o mesmo palanque em um grupo de coalizão.

“Vejo isso sem problema. Eleição na Paraíba é uma e para presidente é outra. É evidente que a eleição nacional tem influência em relação a eleição no estado, mas eu acho que sim, é possível a oposição ter uma candidatura única onde se respeitem as eleições nacionais”, explicou ele em entrevista ao programa Rede Verdade, do Sistema Arapuan de Comunicação.

Questionado sobre a possível filiação do comunicador Nilvan Ferreira ao PSDB, após convite do presidente estadual da legenda, Ruy Carneiro afirmou que já havia conversado com Pedro Cunha Lima sobre a possibilidade e que não colocará empecilhos no desembarque do emedebista no ninho tucano já que ele comunga das mesmas ideias no campo da oposição estadual.

“Antes dele [Pedro] conversar com Nilvan, nós conversamos antes e eu disse que da minha parte não teria nenhum problema. Ele faz parte da oposição e se o sentimento dele é de oposição ao estado e vinher somar com nosso partido, não há motivos para ter nenhum veto e nem a ninguém que tenha esse tipo de sentimento. Não existe nenhum problema”, afirmou.

O deputado federal comentou ainda sobre a possibilidade de ter o nome de Pedro Cunha Lima disputando as eleições para o governo do estado e apontou que o pensamento da legenda é que o nome mais forte no cenário é o que estará no pleito. “Eleição de governador é mais que um partido. Logicamente Pedro ser candidato a governador para mim é uma satisfação, não tem nem o que discutir e contará com o nosso apoio. Também tem o nome de Romero, inclusive o PSD nos apoiou na eleição aqui de João Pessoa, é um nome que também é colocado”, disse.

“A nossa leitura, quando você está em um projeto grandioso como o governo do estado, a gente tem que ver além das paredes do nosso partido. Nós vamos formar coligações e o que vamos colocar em campo é quem tiver melhor. Se for Pedro, ótimo, que seja ele, se for Romero, ótimo que seja ele. Ou até mesmo um outro nome que esteja melhor que os dois. Nós temos que avaliar o momento”, concluiu Ruy Carneiro.

Assista na íntegra a entrevista concedida ao jornalista Luís Tôrres:

Redação/Portal Paraíba

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui