Médicos da unidade de tratamento do novo coronavírus do hospital Spasokukotsky, em Moscou.
 Yuri KADOBNOV / AFP

A Rússia registrou, nas últimas 24 horas, cerca de 10.500 casos do novo coronavírus, informou nesta quarta-feira (6) a célula de crise russa para a Covid-19. Pelo quarto dia consecutivo, o país sofre um aumento vertiginoso na quantidade de contaminações, tornando-se o quinto mais atingido pela doença na Europa.

Desde o último domingo (3), a Rússia vem registrando mais de 10 mil infecções por dia. O balanço de óbitos também vem aumentando: nas últimas 24 horas, 86 pessoas morreram após terem contraído a doença. No total, o país contabiliza 166 mil casos confirmados e 1.537 mortos.

Enquanto vários países europeus começam a sair do confinamento de forma gradual, as autoridades sanitárias russas vêm registrando uma aceleração da pandemia. Com o balanço desta quarta-feira, a Rússia ultrapassou a Alemanha e se tornou o quinto país mais afetado pela Covid-19 na Europa e o sexto no mundo.

Porém, a taxa de mortalidade continua sendo baixa em comparação com países como Reino Unido, Itália ou Estados Unidos. Segundo o governo russo, isso se deve ao rápido fechamento das fronteiras, a mais de quatro milhões de testes e ao acompanhamento das pessoas contaminadas. Opositores afirmam, no entanto, que as autoridades dissimulam dados sobre a propagação do coronavírus no país.

Moscou é epicentro das contaminações

A capital Moscou, onde cerca de metade dos casos estão concentrados, é o epicentro das contaminações no país. O prefeito moscovita, Serguei Sobianin, afirmou que a situação piora a cada dia e pede que os cidadãos respeitem o confinamento.

Apesar do aumento das infecções, a Rússia se prepara para suspender progressivamente as medidas de quarentena a partir de 12 de maio. Ao anunciar a decisão na semana passada, o presidente russo, Vladimir Putin, reconheceu que a situação ainda é “difícil” no país.

A Rússia ocupa o 18º lugar no balanço mundial de óbitos por coronavírus e o 7º em número de casos confirmados.

Primeiro-ministro hospitalizado

O primeiro-ministro russo, Mikhail Michustine, que anunciou na semana passada ter sido contaminado pelo coronavírus, segue internado em um hospital público do país. Segundo seu porta-voz, Boris Beliakov, o premiê passa bem.

O tratamento de Michustine acontece “como estava previsto” em um hospital público, explicou o porta-voz. Segundo ele, o premiê “conversa ativamente com seus colegas por telefone”.

Texto por:RFI
Noticiário Francês 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui