Continua depois da publicidade

(Reuters) – O Ministério das Relações Exteriores da Rússia disse nesta segunda-feira que convocou o embaixador dos Estados Unidos, John Sullivan, para lhe dizer que as declarações do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, ao chamar o presidente russo, Vladimir Putin, de “criminoso de guerra” levaram os laços bilaterais à beira do colapso.

O presidente Biden disse na semana passada que Putin era um “criminoso de guerra” por enviar dezenas de milhares de soldados para a Ucrânia.

“Tais declarações do presidente americano, indignas de um estadista de tão alto escalão, colocam as relações russo-americanas à beira da ruptura”, disse o ministério em comunicado.

O Kremlin descreveu anteriormente os comentários como “insultos pessoais” contra Putin.

O ministério também disse a Sullivan que ações hostis contra a Rússia receberiam uma “resposta decisiva e firme”.

O Departamento de Estado dos EUA não confirmou a convocação. Mas a secretária de Estado adjunta, Wendy Sherman, disse em entrevista à MSNBC que o comunicado da Rússia “apenas mostra o quão desesperado o presidente Putin está se tornando”.

A Rússia enviou dezenas de milhares de soldados para a Ucrânia em 24 de fevereiro, no que chama de operação especial para reduzir a capacidade militar do país vizinho e erradicar pessoas que chama de nacionalistas perigosos.

As forças ucranianas têm apresentado forte resistência contra as forças russas e o Ocidente impôs sanções abrangentes a Moscou em um esforço para forçá-la a se retirar da Ucrânia.

(Reportagem da Reuters)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui