Foto: Reprodução

O procurador-chefe do Ministério Público Federal da Paraíba, Sérgio Rodrigo Pimentel vai determinar a abertura de um inquérito policial contra as primeiras-damas Adriana Karla de Melo Lima (Alagoa Grande) e Taciana Lima Mendonça (Lucena), ambas acusadas por suposto recebimento indevido do auxílio emergencial concedido pelo governo federal.

Conforme o MPF, Adriana Melo e Taciana Mendonça não preenchem os objetivos do auxílio que é destinado somente a trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados, como forma de fornecer proteção emergencial no período de enfrentamento à crise causada pela pandemia do Coronavírus.

A denúncia é que primeira-dama do município de Alagoa Grande, Adriana Karla de Melo Lima, teria recebido o auxílio emergencial no valor de R$ 1,2 mil.

Ela não se pronunciou a respeito das acusações, mas o recebimento foi confirmado pelo próprio prefeito da cidade e marido de Adriana, Antônio da Silva Sobrinho (PSD).

O gestor afirma que ela não ficou com o dinheiro e explicou que a primeira-dama é servidora voluntária da Secretaria de Ação Social e se inscreveu no benefício para aprender como funciona e ensinar as pessoas necessitadas que procuram a Secretaria.

Conforme o prefeito, ela não chegou a finalizar a inscrição. Ainda assim, a primeira-dama teria recebido uma mensagem depois avisando que havia sido contemplada com o auxílio.

A primeira-dama o município de Lucena, Taciana Lima de Mendonça, também consta na lista dos beneficiários que receberam o auxílio emergencial do governo federal.

Ela explicou sobre o fato e disse ter sido vítima de uma armação política no município por conta das eleições municipais, não só ela como o marido, o prefeito Marcelo Monteiro.

Taciana afirmou que já registrou um Boletim de Ocorrência da Delegacia de Lucena, pois tudo não passa de calúnia e difamação contra a sua pessoa nas redes sociais.

“Não acessei de maneira alguma a plataforma do auxílio emergencial. Não tenho conta na Caixa e quero sim que todos os fatos sejam apurados pela Polícia Federal. Não é de minha índole e caráter me envolver com esse tipo de coisa. Quem sabe do meu trabalho e me conhece, sabe que eu faço doações para quem precisa. Eu e meu esposo estamos sendo vítimas de uma política suja na cidade de Lucena”, enfatizou.

Paraíba Online 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui