Caso foi investigado pela Polícia Civil após denúncias recebidas pela instituição. (Foto: Walla Santos)

A presidente da ONG Aliança Bayeux, Célia Domiciano, continua presa após operação que investiga irregularidades na entrega de cestas básicas na cidade de Bayeux, Região Metropolitana de João Pessoa, na quarta-feira (1°). O advogado de defesa, Aécio Farias, informou ao ClickPB que já requereu um pedido de relaxamento da prisão e aguarda decisão da Justiça. Além disso, disse que os cartões foram revertidos em cestas básicas após pedido dos beneficiados.

De acordo com o advogado, a ONG entrega cartões em vários municípios paraibanos. No entanto, informou que no caso do bairro Mário Andreazza (conhecido por Mutirão) os cartões foram revertidos em gêneros alimentícios a pedido dos beneficiados dos cartões depois que denunciaram dizendo que traficantes estariam roubando e furtando os cartões das pessoas.

“Todos os cartões sempre são entregues. Acontece que ultimamente lá, apenas e tão somente lá no bairro Mário Andreazza (Mutirão), sabidamente um bairro extremamente perigoso da Região Metropolitana de João Pessoa, palco de diversos homicídios, infelizmente dominado pelo tráfico, os traficantes estavam retendo, roubando, furtando esses cartões”, argumentou.

Segundo Aécio Farias, por ser ex-vereadora do município, Célia Domiciano estaria incomodando a oposição pelo trabalho que executa na cidade. “Ela foi presa distribuindo as feiras. Ela não foi presa vendendo os cartões. Vamos aguardar que a Justiça decida esse pedido de liberdade. Ela foi presa em flagrante. A gente requereu um pedido de relaxamento da prisão por entender que o flagrante não preenchia o requisito. Vamos aguardar”, afirmou.

Entenda o caso

A Operação, que investigar um suposto esquema envolvendo doações de cestas básicas, foi realizada na tarde de quarta-feira (1º) em Bayeux. Os valores creditados em cartões era da ONG Gerando Falcões, de São Paulo, e que havia solicitado a ONG Aliança de Bayeux que cadastrasse as pessoas carentes e entregasse os cartões. No entanto, conforme as denúncias, estava havendo irregularidades por parte da ONG de Bayeux. A presidente da ONG de Bayeux foi presa e duas pessoas conduzidas até a delegacia para serem ouvidas.

A operação foi deflagrada pela Delegacia de Combate à Corrupção, comandada pelo delegado Allan Terruel, em conjunto com o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco). De acordo com informações do delegado Allan Terruel ao ClickPB, havia retenção de cartões e imposição de entregas de cestas básicas.

ClickPB

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui