De acordo com o prefeito Bruno Cunha Lima, de Campina Grande, durante live na noite deste domingo, 7, o colapso que acontece na Paraíba tem origem na incompetência da Secretaria Estadual de Saúde na gestão da crise sanitária na Paraíba. E fez uma grave denúncia, tendo como fonte o Conselho Regional de Medicina na Paraíba.

Durante a transmissão ao vivo, Bruno Cunha Lima cita o exemplo da própria capital do Estado. Em João Pessoa, segundo o CRM-PB, existiam em meados do ano passado 128 leitos de UTI, mas este número caiu para 75 no último dia 19 de fevereiro.

Já em termos de leitos de enfermaria, o município sofreu queda de 291 para 90, no mesmo período. “Uma clara mostra da falta de planejamento e ineficiência da Secretaria de Saúde Estadual”, resumiu.

O prefeito campinense chamou a atenção de todos para um outro dado: o Hospital das Clínicas, gerido pelo Governo do Estado em Campina Grande, atingiu a marca de 100% da ocupação de leitos, mas destes apenas 17,9% são ocupados por pacientes oriundos de Campina Grande.

Isto demonstra que os pacientes locais não estão na maioria dos leitos, mas sim pacientes oriundos de outras cidades e regiões que buscam socorro em Campina, sede da 2ª Macrorregião de Saúde do Estado.

Campina investe

Por outro lado, destacou o prefeito, prova do esforço permanente do governo municipal para impedir o colapso nos serviços de saúde da cidade é que, já no início desta semana, Campina Grande vai receber 15 novos respiradores e mais 15 novos monitores.

Também haverá a ampliação de leitos, num esforço para oferecer saúde à população, como ainda manter a normalidade das atividades econômicas na cidade, pois deve ser preocupação do governantes amparar a comunidade contra a pandemia e, ao mesmo tempo, lutar em favor da preservação dos empregos.

Paraíba Online 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui