Taxa de desemprego cresceu durante a pandemiaSérgio Lima/Poder360

Pesquisa do PoderData mostra que 41% dos brasileiros têm medo de perder o emprego ao longo deste ano. A taxa indica empate, dentro da margem de erro, com o grupo dos que não estão preocupados com essa possibilidade (38%).

Outros 21% não sabem ou não responderam.

Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostram que 14,2% dos brasileiros estavam desempregados até novembro (último dado disponível). É o maior patamar desde o início da pandemia no Brasil. São 14 milhões de pessoas na fila do emprego, alta de 38,6% em relação a maio, início de série histórica da Pnad Covid.

A pesquisa foi realizada pelo PoderDatadivisão de estudos estatísticos do Poder360. A divulgação do levantamento é feita em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes.

Os dados foram coletados de 4 a 6 de janeiro de 2021, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 518 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

ESTRATIFICAÇÃO

A população mais jovem é a que tem mais medo de ficar desempregada em 2021. A taxa de preocupação dispara a 59% entre os trabalhadores de 16 a 24 anos. O temor de perder o emprego entre os mais jovens vai de encontro com os números do IBGE, que mostram que essa parcela da população foi a mais prejudicada pela alta do desemprego no país.

O recorte do instituto é de 14 a 29 anos. Nessa faixa etária, a desocupação salta para 24,2%. É 10 pontos percentuais a mais que o dado geral.

Na mesma linha, os idosos são os menos preocupados. Só 15% da população com 60 anos ou mais têm medo de ser desligada de seus empregos.

A região que concentra a maior taxa de preocupados com a possibilidade é a Norte. Quase 7 em cada 10 moradores dos Estados da região estão aflitos em relação ao desemprego. São somente 3% os que dizem não ter medo de serem demitidos. No Sul, as taxas praticamente se invertem: 27% têm medo e 61%, não.

Eis a estratificação completa:

BOLSONARISTAS COM MENOS MEDO

Menos de 1/3 dos brasileiros (32%) que avaliam o presidente Jair Bolsonaro como “bom/ótimo” ou “regular” estão preocupados com a possibilidade de perder o emprego em 2021. Nesses grupos é mais comum a expectativa de se manter empregado (49% e 41%, respectivamente).

O cenário é o inverso entre quem desaprova o trabalho do chefe do Executivo. Mais da metade dessas pessoas (53%) têm medo de ficar sem emprego. Outros 29% pensam o contrário, enquanto 18% não sabem.

Poder360

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui