Alan Santos/Planalto

O Kremlin informou que o presidente Vladimir Putin conversou com o presidente Jair Bolsonaro (PL) por telefone nesta segunda-feira (27/6). Segundo o governo russo, o telefonema foi acordado durante a recente cúpula do Brics, realizada em formato virtual na semana passada.

Continua depois da publicidade

“Os problemas da segurança alimentar global são considerados em detalhes. O presidente da Rússia fez uma avaliação detalhada das causas da difícil situação do mercado mundial de produtos agrícolas e fertilizantes. A importância de restaurar a arquitetura do livre comércio de alimentos e fertilizantes, desmoronada pelas sanções ocidentais, foi enfatizada”, pontua o Kremlin.

Putin ressaltou que a Rússia está empenhada em cumprir o compromisso de garantir o fornecimento ininterrupto de fertilizantes aos agricultores brasileiros.

“A intenção de fortalecer consistentemente a parceria estratégica entre os dois países foi confirmada, incluindo a expansão da cooperação mutuamente benéfica em vários campos, sobretudo agricultura e energia”, prossegue o comunicado.

Outros assuntos da agenda internacional também foram abordados, inclusive levando em conta a presidência rotativa do Brasil no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), a partir de 1º de julho.

A conversa entre os dois líderes não estava prevista na agenda oficial de Bolsonaro para esta segunda-feira. O Palácio do Planalto e o Itamaraty foram procurados pela reportagem para comentar o assunto, mas ainda não se manifestaram. A matéria será atualizada caso haja resposta.

Bolsonaro se reuniu com Putin em fevereiro

Bolsonaro viajou a Moscou em fevereiro deste ano, poucos dias antes da invasão da Ucrânia pela Rússia. No Kremlin, ele foi recebido para uma reunião bilateral e um almoço de cerca de duas horas com Putin.

Na época, Bolsonaro foi criticado por autoridades brasileiras e estrangeiras pela visita ao país euroasiático em um momento de escalada das tensões no Leste Europeu. O titular do Palácio do Planalto, porém, defendeu a agenda sob a justificativa que a agenda garantiu a oferta de fertilizantes russos para o agronegócio brasileiro.

A Rússia é um dos países que mais exportam adubos e fertilizantes para o Brasil. Em janeiro, 30% do insumo que chegou ao território nacional veio dos russos, segundo o Ministério da Economia.

Metrópoles

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui