Fachada da UFPBImagem: Divulgação

Uma operação realizada na manhã de hoje pela Polícia Federal e pela Polícia Militar da Paraíba desarticulou um grupo criminoso que atuava em presídios e fora deles em vários estados do Brasil. Batizada de operação “Residence”, o objetivo é cumprir 38 mandados de prisão preventiva, além de 23 mandados de busca e apreensão e ordens judiciais de bloqueio de valores depositados em contas correntes.

Segundo a PF, o grupo usava um quarto da residência universitária da UFPB (Universidade Federal da Paraíba) para armazenar a droga que era distribuída para destinos diversos na Paraíba e estados vizinhos.

Segundo a polícia, esse quarto era a base usada pelo líder do grupo para guardar a droga. A escolha da residência universitária seria uma espécie de álibi que ajudava a ocultar a prática da atividade ilícita. Foi através do material encontrado nesse quarto, durante as investigações, que a polícia desvendou o grupo criminoso.

O esquema era organizado e acontecia dentro e fora de presídios. A operação aconteceu também nos estados de Pernambuco, Rio Grande do Norte, Roraima, Rondônia, Mato Grosso do Sul e Paraná. Participaram da operação mais de 200 policiais federais e 60 policiais militares.

O delegado da Polícia Federal Bruno Rodrigues disse que um dos investigados que usava o quarto da residência universitária para guardar drogas também prestava assessoria jurídica aos demais integrantes do PCC Paraíba, e era um dos líderes. Ele foi preso armazenando droga sintética, maconha, cocaína e produtos derivados da maconha, como manteiga e bolo.

Rodrigues ainda disse que as investigações partiram desse pequeno grupo e posteriormente alcançou todo o PCC na Paraíba. Os nomes dos integrantes não foram revelados pela PF.

Os investigados vão responder pelos crimes de tráfico de drogas e associação para fins de tráfico de drogas, cujas penas podem chegar a 25 anos de reclusão.

Uol

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui