Uma nova fase da Operação Calvário foi deflagrada na manhã desta terça-feira (27) pela Polícia Federal e o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público da Paraíba e a Controladoria-geral da União (CGU) para investigar contratações fraudulentas de Organizações Sociais (OS) para gerir os serviços de saúde e educação na Paraíba.

Seis mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em João Pessoa, Cabedelo e em Brasília/DF, na nona fase, que coleta documentos para auxiliar nas investigações.

Os mandados foram autorizados pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). 19 policiais federais e dois auditores da CGU participam da operação.

Segundo investigações, de 2011 a 2019 o Governo da Paraíba empenhou, em favor das OS contratadas para gerir os serviços essenciais da Saúde e da Educação, que integram as investigações de todas as fase da Operação Calvário, o montante de 2,4 bilhões de reais, tendo pago mais de 2,1 bilhões. O dano estimado ao erário é de mais de R$ 134 milhões.

ParlamentoPB

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui