Faltou futebol. Estacionados no meio da tabela do Campeonato Brasileiro, Ceará e Santos se enfrentaram, na noite deste sábado, na Arena Castelão, e, após protagonizarem um duelo fraco tecnicamente e com poucas emoções – uma delas um pênalti perdido por Marinho, ficaram no 0 a 0.

Com o resultado, o time comandado por Tiago Nunes acumula o décimo empate na competição (recorde), soma 25 pontos e ocupa a 12ª colocação.

Do outro lado, o Peixe, com 24, aparece uma posição abaixo do Vozão. Pênalti perdido marca uma primeira etapa ruim O primeiro tempo do duelo entre alvinegros não embalou na Arena Castelão. Muito pelo contrário.

Com muitos passes errados e faltas em excesso, Ceará e Santos protagonizaram um encontro de baixo nível técnico. Ao menos nos primeiros 45 minutos. O Peixe ficou mais tempo com a bola, trocou mais passes, mas foi extremamente lento nas transições e construções.

Apesar da falta de intensidade, foi da equipe santista a chance mais clara da etapa inicial. Aos 21 minutos, Jean Mota arriscou da meia direita, a bola desviou no braço de Messias e saiu em escanteio. Após recomendação do VAR, o árbitro checou o lance e marcou a penalidade.

Na cobrança, porém, Marinho correu para bola, escorregou e protagonizou um momento bisonho em Fortaleza, desperdiçando a chance de abrir o placar. Em resposta, o Vozão chegou aos 27. Kelvyn cruzou pela esquerda, a bola passou pela área santista e, na sobra, pegou de primeira. No meio do caminho, a zaga do Santos apareceu para mandar o perigo para escanteio.

E parou por aí. Empate é mantido Na volta do intervalo, o duelo esboçou uma melhora. Logo aos seis minutos, Marinho recebeu na área, fez bem o giro e cruzou para Felipe Jonatan, que , com espaço, pegou de primeira, mas mandou pela linha de fundo.

Pouco depois, o Ceará deu o troco em rápido contra-ataque pela direita, que acabou nos pés de Vina. O meia abriu espaço na entrada da área e, de canhota, bateu rasteiro. Atento, João Paulo fez a defesa. Com o passar do tempo, porém, o confronto voltou a ficar arrastado, assim como no primeiro tempo, e as chances claras de gol se tornaram escassas outra vez.

Nos minutos finais, o Vozão se lançou ao ataque, mas não conseguiu marcar. Aos 40, Gabriel Dias, após chamar o pivô de Cléber, criou a última grande chance, mas o goleiro João Paulo, com muito reflexo, manteve o zero no placar na Arena Castelão.

O Go 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui