Nesta terça-feira (6), a Forbes liberou a 35ª edição da sua tradicional lista de bilionários do mundo. Quem encabeça o ranking, novamente, é Jeff Bezos, fundador da gigante do varejo Amazon.

Este é o quarto ano consecutivo que o executivo aparece no topo da lista, com uma fortuna estimada em US$ 177 bilhões – US$ 64 bilhões acima do montante listado no ano passado

Dentre outros nomes destacados no ranking estão Tyler Perry, produtor de cinema e TV; Whitney Wolfe Herd, cofundadora do aplicativo de namoro Bumble; e Guillaume Pousaz, fundador da empresa de pagamentos Checkout.com.

Imagem mostra uma porção de notas de 100 dólares espalhadas
Todos os bilionários do mundo respondem, juntos, a uma fortuna de US$ 13,1 trilhões.
Crédito: Shutterstock

Vale ressaltar que, dos 10 primeiros da lista, 70% são pessoas que pertencem ao setor de tecnologia. Do total, apenas 11% são mulheres.

O top 3 mais ricos do mundo é completado por Elon Musk, CEO da Tesla (US$ 151 bilhões), seguido por Bernard Arnault, atual presidente e diretor executivo da LVMH, holding francesa de artigos de luxo que engloba marcas como Louis Vuitton e Dior, entre outras (US$ 150 bilhões).

As demais posições são ocupadas, respectivamente, por: Bill Gates, fundador da Microsoft e atualmente no comando da empresa de uma das maiores empresas de filantropia privada, a Bill e Melinda Gates Foundation (US$ 124 bilhões); Mark Zuckerberg, fundador e CEO do Facebook e da iniciativa filantrópica Chan Zuckerberg (US$ 97 bilhões); Warren Buffet, um dos mais conhecidos investidores do mundo (US$ 96 bilhões); Larry Ellison, fundador e atual CEO da Oracle (US$ 93 bilhões); Larry Page e Sergey Brin, ambos cofundadores do Google e atuais membros do conselho, com fortunas de US$ 91,5 bilhões e US$ 89 bilhões, respectivamente.

O ranking é finalizado por Mukesh Ambani (US$ 84,5 bilhões), presidente do conselho, CEO e maior acionista do conglomerado industrial indiano Reliance Industries, com principal atuação no ramo petrolífero.

Mais ricos do que nunca

pandemia trouxe diversos desafios, mas isso não pareceu afetar as pessoas mais ricas do mundo, que não apenas manteram, como também aumentaram suas fortunas.

Kelly Dolan, editora da Forbes e responsável pelo anúncio do ranking, destaca que o período de pandemia, ao contrário do que foi para muitos no mundo, representou um ano recorde para os mais ricos. “Ao todo, assombrosos 86% de todos os bilionários estão mais ricos do que há um ano”, disse.

Neste ano, o ranking atingiu um novo recorde com 2.755 bilionários – 493 novos entrantes. Isso, de acordo com a Forbes, significa um novo bilionário a cada 17 horas, em média.

Ainda de acordo com a publicação, cerca de 250 pessoas que haviam caído no ranking em 2020 conseguiram ocupar novo espaço.

Juntas, essas pessoas respondem por US$ 13,1 trilhões de todo o dinheiro disponível no mundo, US$ 5 trilhões acima dos US$ 8 trilhões registrados no ano passado.

Dos 2.755 bilionários, 57 são brasileiros. Entre eles estão Luiza Helena Trajano, da Magalu; David Vélez, fundador do Nubank; e Andre Street e Eduardo de Pontes, cofundadores da fintech Stone, que se tornou um dos unicórnios brasileiros em 2018.

Via: Forbes

Compartilhar:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui