Foto: Reprodução/ TV Cabo Branco

A Polícia Cientifica de Campina Grande apurou que a cocaína consumida por dependentes químicos na cidade não é totalmente pura e, adicionada a outras substancias, pode causar ainda mais danos à saúde.

Além das ações contra o tráfico de drogas na cidade, a Polícia Civil investiga a procedência e qual o tipo de droga apreendida. O trabalho é feito pelo Instituto de Polícia Cientifica e a entidade já identificou diversas substâncias misturadas à cocaína vendida em Campina Grande.

De acordo com o delegado da Delegacia de Repressão ao Entorpecente, Ramirez São Pedro, além de pó plástico e de corrosivos, foram identificadas substâncias como: analgésico, fermento, gesso, e outros, misturados à cocaína.

Segundo ele, já na aparência é possível saber que a droga não é pura. Ele ressaltou que além da questão criminal, também há uma questão de saúde pública.

Ainda de acordo com Ramirez, o entorpecente é comumente encontrado em festas na zona rural realizada por jovens, mesmo diante do distanciamento social.

Foto: Reprodução/ TV Cabo Branco

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui