Oito agências da Caixa Econômica Federal (CEF) na Paraíba, sendo seis em João Pessoa, uma em Santa Rita e outra em Sapé foram fechadas após funcionários apresentarem sintomas da Covid-19. O caso foi registrado na última sexta-feira (15). Os bancos passarão por sanitização para poder retomar o atendimento ao público nesta segunda-feira (18).Ao menos dez pessoas, entre funcionários e terceirizados, já testaram positivo para a doença, um deles está internado, com estado de saúde delicado, informou o sindicato da categoria.Empregados relataram a ausência de medidas de proteção, que pode ter provocado o aumento de casos repentinamente.

Um dos protocolos da Caixa diz que nos casos suspeitos (com apresentação de atestado médico) ou confirmados por exame, o procedimento é afastar imediatamente o empregado e os colegas que tiveram contato com ele, providenciar a sanitização da agência e designar outra equipe para realizar o atendimento.

A diretoria do Sindicato dos Bancários da Paraíba tem cobrado medidas de segurança para manter a integridade dos funcionários, tais como a agilidade na sanitização das agências que entrarem no protocolo, bem como a divulgação para o sindicato da quantidade de casos suspeitos e confirmados.

As Agências da Caixa fechadas são:

  • Parahyba (no bairro Ernesto Geisel, em João Pessoa)
  • Trincheiras (no centro de João Pessoa)
  • Cidade Antiga (no Varadouro, em João Pessoa)
  • Agência Tibiri (em Santa Rita)
  • Cruz das Armas (em João Pessoa)
  • Ministro José Américo (em João Pessoa)
  • Mag Shopping (em João Pessoa)
  • Sapé

Home Office

A Caixa anunciou a prorrogação do projeto remoto até o dia 31 de maio. A prorrogação poderá ocorrer por mais tempo, a critério e necessidade da instituição. Dos mais de 85 mil empregados em todo o país, 70% estão em home office, além dos que pertencem ao grupo de risco. O restante está na linha de frente do atendimento. Apesar das cobranças das entidades sindicais, o governo se recusou a distribuir o pagamento do auxílio para outros bancos, sobrecarregando os empregados da Caixa, que vêm enfrentando uma jornada de trabalho exaustiva.

A secretária-geral do Sindicato dos Bancários e empregada da Caixa Econômica, Silvana Ramalho, disse que o cuidado e a proteção à saúde dos colegas é prioridade.

PBAgora 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui