Há pouco tempo atrás Real Madrid e Barcelona eram os times a serem batidos na Europa. Agora, colecionam vexames e decepções. Um dia depois da derrota história do time da capital para o Sheriff, da Moldávia, no Bernabéu, o Barcelona foi atropelado pelo Benfica no Estádio da Luz.

Os merengues podem não viver sua melhor fase, mas nada próximo do que vemos com o time catalão, com o pior início de sua história na Liga dos Campeões. Antes de o Barcelona começar a colecionar decepções na Europa, Lionel Messi deu seu aviso: o elenco não bastava para competir pelo topo do continente e era preciso mudar.

No fim, o Barça sofreu mesmo na Espanha e o argentino chegou a pedir para sair, sem ser atendido. Com a mudança de diretoria, o craque chegou a se prontificar a liderar em campo o processo de reestruturação de um time decadente.

Acabou por ser dispensado por falta de dinheiro, e foi poupado do que temos visto neste início de temporada. O Barcelona nunca havia perdido suas duas primeiras partidas na Liga dos Campeões.

Nunca tinha chegado nessa fase como lanterna sem pontos. Nunca tinha passado os dois primeiros jogos sem marcar gols. Nunca tinha sofrido seis gols a essa altura. Uma série de marcas negativas que colocam a continuidade do técnico Ronald Koeman em dúvida.

O fato do holandês seguir no clube por tanto tempo, apesar dos resultados, é um reconhecimento público de que o clube não lhe deu as melhores condições para conseguir competir.

A derrota para o Bayern de Munique, por 3 a 0, não chegou a surpreender por conta da força do adversário e das fragilidades claras do Barcelona. Perder para o Benfica pelo mesmo placar, no entanto, trata-se de um vexame histórico.

Fazia 34 anos que o time não perdia para um rival português – em 1987 foi derrotado na Copa Uefa pelo Belenenses – e essa foi apenas a terceira goleada dos lisboetas em toda a Liga dos Campeões moderna. Mas a estatística que talvez chame mais a atenção seja a de chutes na direção do gol: apenas um em dois jogos.

Lanterna do grupo E, o Barcelona corre sérios riscos de cair ainda na fase de grupos da Liga dos Campeões. Se isso acontecer será a primeira vez desde 2001 que o time catalão cai nessa fase. O Barça parece ter chegado ao fundo do poço. Resta saber se começará a escalar ou seguirá cavando o seu buraco.

O Gol 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui