Na contagem regressiva para deixar o mandato, o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV), mais uma vez corre para dar celeridade em suas ações na tentativa de impor seu modelo de gestão à administração do prefeito eleito Cícero Lucena (PP).

Além de publicar edital de concurso com mais de 600 vagas – ignorando o enxugamento da folha e fusão de secretarias adotados pela nova gestão – e assinar ordem de serviços para obras que não mais estarão sob seu comando, o prefeito também publicou, nos últimos dias, no Semanário Oficial, a convocação a convocação de uma Assembleia para eleger o novo presidente do Conselho do Trabalho e Renda, que deveria ter sido realizada em 2019.

A eleição, conforme o semanário, deveria ter sido realizada ontem, quarta-feira (17), faltando apenas 14 dias para o término da gestão municipal, no entanto, foi adiada para próxima segunda-feira, dia 21, a 10 dias do fim da era Cartaxo na Capital.

Dada a importância, o Conselho do Trabalho Emprego e Renda (CTER) tem a função de gerir o Fundo do Trabalhador, sobretudo em questões ligadas ao Banco Cidadania; deliberar e definir acerca da Política de Trabalho, Emprego e Renda, no âmbito da respectiva localidade, em consonância com a Política Nacional de Trabalho, Emprego e Renda; apreciar e aprovar o plano de ações e serviços do SINE, na forma estabelecida pelo CODEFAT, bem como a proposta orçamentária da Política de Trabalho, Emprego e Renda, e suas alterações, a ser encaminhada pelo órgão da Administração Pública Estadual, do Distrito Federal ou Municipal, responsável pela coordenação da Política de Trabalho, Emprego e Renda; apreciar e aprovar relatório de gestão anual que comprove a execução das ações do SINE, quanto à utilização dos recursos federais descentralizados para os fundos do trabalho das esferas de governo que a ele aderirem; aprovar a prestação de contas anual do Fundo do Trabalho, entre outras atribuições.

A celeridade de Cartaxo em cumprir a demanda de trabalho suprimida nos últimos quatro anos tem sido tratada como verdadeiras ‘cascas de banana’ para inviabilizar a nova gestão municipal. A equipe de transição do prefeito eleito Cícero Lucena não tem sido informada de boa parte dessas decisões ‘a toque de caixa’ e assim como a população, também está sendo pega de surpresa pelas atitudes intempestivas.

Vale lembrar que nas eleições desse ano o prefeito Cartaxo não conseguiu eleger sua candidata, a concunhada Edilma Freire (PV). Ela sequer conseguiu ficar entre os três candidatos mais votados, abarcando apenas a quinta colocação na disputa eleitoral de 15 de novembro.

CONFIRA AQUI PUBLICAÇÃO NO SEMANÁRIO OFICIAL

PB Agora

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui