Continua depois da publicidade

O presidente Jair Bolsonaro pediu, na tarde desta segunda-feira (26/04), a seus apoiadores que conversem com familiares e conhecidos que ‘pensam diferente’ a respeito da política de lockdown em meio à pandemia e os convençam a mudar de opinião sobre o assunto. Bolsonaro fez a recomendação na saída do Palácio da Alvorada, durante retorno de viagem à Bahia.

Uma mulher perguntou ao mandatário sobre como poderia auxiliá-lo além da realização de manifestações nas ruas pelo fim da medida. “Convença quem tá do seu lado e pensa diferente. O povo ficou anestesiado por pelo menos 30 anos. Você tem que ganhar a guerra de informação. E outra, não é esperar que uma pessoa faça por você o que você pode fazer pelo teu Brasil, ok?”, apontou.

O chefe do Executivo ainda comentou rapidamente sobre a aprovação do Orçamento. “O Tarcísio (Freitas, ministro da Infraestrutura) está fazendo o que pode. A gente está fazendo com menos. Estamos com um probleminha no orçamento. Agora vamos dar uma mexida e recuperar alguma coisa aí, sem furar o teto, ok?”, acrescentou.

Meio Ambiente

Bolsonaro voltou a reclamar sobre críticas de líderes mundiais a respeito da política ambiental no país. Segundo ele, o país é o que menos emite gás carbônico e, ainda assim, o mais atacado. “A gente fica chateado”, ressaltou.

“O agronegócio nos orgulha. Se não me engano, aumentamos 4% a área plantada. Pouco né, pelo tamanho do Brasil, pelo que nós temos de preservado. Brigando com a questão ambiental, você pode ver qual é o país que mais emite CO2 não é o nosso. A China 30%, EUA 15%, Índia 7%. Nós, em torno de menos de 3%. Agora, quase metade das críticas mundiais em cima da gente. E o que a gente fica chateado é que, no Brasil, o pessoal não consegue enxergar isso aí. Se bem que tem uma mídia que desinforma”, atacou o presidente.

Correio Braziliense

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui