Nelson Teich recusa convite para ser conselheiro do Ministério da Saúde: ‘Não seria coerente’

O ex-ministro da Saúde Nelson Teich, que deixou o governo federal este mês, disse, neste sábado (23), ter recusado o convite para ser conselheiro do Ministério da Saúde. Teich, que substituiu Luiz Henrique Mandetta (DEM), em abril, foi convidado pelo atual ministro interino, o general Eduardo Pazuello.

Através de sua página no Twitter, Teich afirmou que recusou o chamado porque “não seria coerente” ter deixado o cargo na semana passada e aceitar uma nova posição na semana seguinte.

“Quando assumi o MS, o objetivo era trazer um modelo de gestão mais técnica, que aumentasse a eficiência do Sistema e melhorasse o nível de saúde da sociedade. Ser mais técnico não significa apenas uma condução médica mais técnica. Isso seria tratar o problema de forma simplista”, escreveu.

De acordo com ele, uma condução técnica do sistema de saúde significaria uma gestão com estratégia, planejamento, metas e ações. Esses aspectos devem ser baseados em informações amplas e precisas, acompanhadas de forma contínua por indicadores.

“Desejo ao Ministro Interino Eduardo Pazuello todo o sucesso na condução do Ministério da Saúde e estou à disposição para que a transição aconteça da melhor forma possível”, completou.

Teich ficou menos de um mês à frente do Ministério da Saúde, tendo deixado o cargo no último dia 15 de maio. Desde então, o general Panzuello tem atuado como ministro interino e o presidente Jair Bolsonaro não anunciou quem será o novo nome para a pasta.

Assim como Mandetta, Teich, que é médico, defendeu posições contrárias às defendidas por Jair Bolsonaro. Ele era contrário, por exemplo, ao relaxamento do distanciamento social e ao uso da cloroquina sem restrições.

Correio da Bahia 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *