Em luta ferrenha contra o Z4, Bahia e Goiás protagonizaram, na noite deste sábado, um duelo digno de quem vai brigar até o fim pela permanência na elite do futebol brasileiro. Com a bola rolando, equilíbrio e muitos gols. No fim, a lei do ex castigou o Tricolor Baiano e deu o empate ao Esmeraldino: 3 a 3. Com o resultado, o time de Dado Cavalcanti chega a 37 pontos, pula para a 16ª posição e, momentaneamente, coloca o Vasco, que ainda joga na rodada, na zona de rebaixamento.

Do outro lado, o Verdão soma 33, segue em 18º e vê a luz no fim do túnel ainda mais distante. Vira-vira tricolor Mesmo fora de casa, o Goiás começou a partida buscando ir para cima dos baianos. Fernandão completou boas jogadas na área, mas Anderson fez boas defesas e segurou o resultado. Aos 15 minutos, Gregore deixou a mão na bola dentro da área e, após análise do VAR, o árbitro marcou pênalti.

O camisa 99 esmeraldino precisou do rebote da penalidade para fazer valer a lei do ex na Fonte Nova: 1 a 0. Em desvantagem, o Bahia então acionou o tudo ou nada no ataque e assumiu o controle das jogadas, subindo principalmente pelo lado direito. Gilberto, que encabeçou bons lançamentos na área esmeraldina, acertou as redes aos 26 minutos, após aproveitar sobra na área adversária, e empatou o duelo.

O time visitante manteve a estratégia, e Fernandão teve uma grande chance para colocar os goianos em vantagem novamente, mas goleiro do Bahia defendeu o chute. Nos acréscimos, Gabriel Novaes marcou o gol da virada e garantiu a vantagem baiana para a segunda etapa. Emoção e empate no fim A vantagem tricolor, no entanto, não criou raiz na etapa complementar.

Logo aos três da segunda etapa, Índio avançou pela direita, levantou na área, e viu Vinícius ganhar de dois zagueiros pelo alto e deixar tudo igual no marcador. Para aumentar a aflição baiana, aos 20, Danielzinho levantou demais a perna, atingiu Rafael Moura e recebeu o cartão vermelho. Com um jogador a menos, o Bahia viu o Goiás se mandar para o ataque e acumular chances para marcar.

Miguel Figueira e Ariel Cabral foram os responsáveis pelas melhores chances, mas não mandaram a bola para a rede. Mesmo com todo o panorama desfavorável, o time da casa não deixou de acreditar.

Até que aos 33, após uma bola afastada despretensiosamente pelo goleiro Anderson, a zaga esmeraldina cochilou na jogada e a bola se ofereceu para Alesson, que saiu na cara gol, driblou Marcelo Rangel e colocou para dentro.

Nos minutos finais, como era de se esperar, o Goiás armou um verdadeiro bombardeio para cima da defesa tricolor. E funcionou! Já no soar do gongo, Ariel Cabral desviou cruzamento na primeira trave, e Fernandão testou no contrapé do goleiro, dando números finais à partida. Incrível!

O Gol 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui