O Ministério Público da Paraíba (MPPB), através da Promotoria de Justiça de Bayeux, está investigando a gestão da prefeita Luciene de Fofinho (PDT) pelo desvio de quase meio milhão de reais que seria usado no combate da Covid-19 no município.

De acordo com a promotora Maria Edligia Chaves Leite, responsável pela investigação, há indícios de superfaturamento na Dispensa de Licitação 00021/2020 no valor de R$ 394.450,00 para locação de cinco tendas que deveriam compor hospitais de campanha anexos a equipamentos públicos de saúde do município.

Confira Portaria de Inquérito Criminal

A empresa vencedora, M&D SERVIÇOS DE LOCAÇÕES E PRODUÇOES LTDA, CNPJ 03781322/0001-03M do vereador Hemerson Levi de Medeiros Dantas, de Santa Luzia, no Sertão da Paraíba, município distante 309 km de Bayeux, instalou apenas três tendas das cinco previstas: uma no Hospital Materno-Infantil, outro na policlínica Benjamin Maranhão, e o terceiro na UPA da cidade.

A promotora justifica a abertura do inquérito por, além da não execução total do serviço, o gasto com a locação das tendas ser “despesas tão vultosas” e o então secretário de Saúde na época, Bruno Wanderley, ordenador da despesa, ter ignorado completamente a notificação para apresentação de defesa.

A gestão Luciene de Fofinho liquidou o contrato com o pagamento em três notas: duas no valor de R$ 131.550,00 (em 5 de outubro e 13 de novembro) e R$ 130,572,30 mil em 18 de dezembro, tudo no ano passado – quando Luciene se reelegeu prefeita de Bayeux.

PBAgora

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui