O Movimento Brasil Livre (MBL) apresentou nesta segunda-feira (27) um pedido de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O documento é assinado pelo advogado Rubens Nunes.

O anúncio foi feito em entrevista coletiva pelo deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP). Para o parlamentar, Bolsonaro cometeu “estelionato eleitoral” ao prometer o combate à corrupção em seu governo.

“Já de algum tempo ele [Bolsonaro] tem sinalizado não ter compromisso com o combate a corrupção, mas tem compromisso em blindar a própria família e os próprios aliados”, afirmou Kataguiri.

O pedido de impeachment é baseado nas acusações contra Bolsonaro feitas pelo ex-ministro Sérgio Moro, na sexta-feira (27) ao anunciar a demissão dele do ministério da Justiça e Segurança Pública. O MBL acusa o presidente de crime de responsabilidade por supostamente interferir no comando da Polícia Federal e tentar impedir os avanços das investigações contra os filhos dele.

“O MBL considera que é politicamente inviável o governo Bolsonaro, que nenhum plano aprovado pelo governo vá ser levado em frente, a base se esvaiu completamente. A própria direita agora se volta contra o presidente justamente por ele não cumprir suas promessas de campanha e cometer estelionato eleitoral”, ressaltou Kim Kataguiri.

Segundo o MBL, o grupo também pretende fazer um pedido de afastamento cautelar de Bolsonaro pelo crime de falsidade ideológica. Na sexta-feira, Moro afirmou que sua assinatura no documento de exoneração de Maurício Valeixo foi usada sem seu consentimento.

Istoé 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui