Desde a chegada de Marcelo Queiroga ao cargo de ministro da Saúde, ele já exonerou três militares que ocupavam postos importantes e três seguidores do general Eduardo Pazuello que se envolveram em polêmicas.

Um dos demitidos foi o tenente-coronel da reserva Jorge Luiz Kormann, que em novembro havia sido indicado para ocupar cadeira na diretoria da Anvisa por Jair Bolsonaro (que depois recuou), foi exonerado do posto de secretário-executivo adjunto do Ministério da Saúde, informa o Painel da Folha de S.Paulo.

O coronel Élcio Franco, o número dois da pasta, e o coronel e médico Roberto Batista, diretor do departamento de engenharia de Saúde Pública da Funasa, também foram exonerados.

Portal WSCOM com Brasil 247

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui