Manifestantes incendeiam Congresso da Guatemala durante protestos (FOTOS, VÍDEOS)

Centenas de manifestantes invadiram neste sábado (21) o Congresso da Guatemala e queimaram parte do prédio, em meio aos crescentes protestos contra o governo após a aprovação de um orçamento que corta gastos em educação e saúde.

A manifestação reuniu cerca de 7 mil pessoas em frente ao Palácio Nacional na Cidade da Guatemala, que gritavam palavras de ordem e mostravam cartazes com mensagens contra o orçamento recém-aprovado pelo governo do presidente Alejandro Giammattei.

De acordo com as acusações dos manifestantes, o orçamento foi negociado e aprovado pelos legisladores em segredo, enquanto o país centro-americano lidava com os efeitos de furacões consecutivos e da pandemia de COVID-19.

Diversos vídeos foram publicados nas mídias sociais, mostrando as chamas que saíam de uma janela do prédio legislativo. De acordo com a imprensa local, agentes de segurança dispararam gás lacrimogêneo contra os manifestantes e havia pessoas feridas.

O presidente Alejandro Giammattei, por sua vez, rechaçou os atos de vandalismo cometidos pelos manifestantes no Congresso da República.

“Reitero que existe o direito à manifestação conforme a lei. Mas não podemos permitir que vandalizem a propriedade pública e privada. Aqueles que tiverem sua participação comprovada nesses atos criminosos sofrerão todo o peso da lei”, escreveu Giammattei no Twitter.

Enquanto toda a Guatemala está protestando e mostrando a cara para que o país não seja mais roubado, os corruptos andam escondidos e confortáveis com os milhões roubados.

“Arruaceiros tentaram retornar ao edifício do Congresso, mas foram contidos pela polícia; apesar das múltiplas provocações, as forças de segurança mantiveram a calma e agiram de forma firme para manter a ordem”, informaram as forças de segurança nas redes sociais.

O lançamento de pedras e outros artigos causaram lesões em pessoas que estão sendo assistidas pela polícia e pelos corpos de emergência. A PNC [Polícia Nacional Civil] reitera que cumpre com a manutenção da ordem e o uso racional da força, enquanto, por outro lado, segue protegendo os manifestantes pacíficos. 

A piora na situação aconteceu pouco depois que o vice-presidente do país, Guillermo Castillo, propôs a Giammattei uma renúncia conjunta “para o bem do país”, diante do descontentamento gerado pela aprovação do orçamento.

Segundo a agência AP, o vice-presidente também sugeriu que Giammattei vetasse o orçamento aprovado, demitisse funcionários do governo e tentasse uma aproximação com outros setores políticos do país.

Giammattei, por sua vez, não respondeu publicamente à proposta de Castillo, que assinalou que não renunciaria sozinho.

Sputnik 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *