O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, rejeitou o pedido de demissão do do secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, nesta quarta-feira (15).

Em coletiva de imprensa, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, confirmou que não aceitou o pedido.

“Estamos aqui eu, Wanderson e Gabbardo [secretário-executivo]. Entramos juntos, estamos juntos e sairemos do ministério juntos”, disse Mandetta.

Sobre a carta enviada por Wanderson Oliveira, o ministro disse que o secretário continua.

“Hoje teve muito ruído por conta do Wanderson. Já falei que não aceito. Wanderson continua, está aqui. Acabou esse assunto. Vamos trabalhar juntos até o momento de sairmos juntos do Ministério da Saúde“, completou o ministro.

Ao ser questionado sobre a possibilidade de ser demitido do cargo pelo presidente Jair Bolsonaro, Mandetta disse que existem várias visões a respeito da melhor maneira para contornar a propagação do novo coronavírus no Brasil.

“Parece que eu sou contra o presidente ou o presidente é contra mim, mas não. São visões diferentes do mesmo problema. Se houvesse uma visão única seria um problema muito fácil de solucionar e ele não é um problema maniqueísta. O que eu coloco é até aqui é que nós fizemos um trabalho muito elogiado por Banco Mundial, por Organização Mundial de Saúde (OMS), os números que nós conseguimos domar, achamos que está bem”, afirmou o ministro.

​Wanderson Oliveira pediu demissão na manhã desta quarta-feira e enviou carta aos funcionários de sua área afirmando que “a gestão de Mandetta acabou e preciso me preparar para sair junto”. Oliveira ainda disse que “só Deus para entender o que querem fazer”.

Sputnik 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui