Continua depois da publicidade

Pelas quartas de final da Copa do Nordeste, o Sport visitou o CSA. Em um jogo de muita emoção e alta qualidade, o confronto acabou em 0 a 0, sendo decidido nas penalidades máximas. No entanto, quem tem Maílson tem tudo! O goleiro brilhou no estádio Rei Pelé e, com três defesas, colocou o Sport nas semifinais da Copa do Nordeste.

Qualidade afetada Jogo equilibrado, campo pesado e dificuldade de impor o estilo de jogo. Sport e CSA começaram o confronto com um duelo à parte diante do gramado, encharcado pela chuva que castigou o estádio Rei Pelé. Apesar das condições adversas, o CSA não se intimidou, e antes do primeiro minuto já testou o goleiro Maílson, que fez ótima defesa após chute de longe de Yann Rolim.

Aos cinco, Juba respondeu rapidamente para o Leão. No entanto, o Azulão agrediu mais uma vez, agora aos sete, com Gabriel, que obrigou Maílson a fazer difícil intervenção. Com o passar dos minutos, o jogo foi ficando mais lento e truncado no meio-campo. As duas equipes não conseguiam fazer a transição em velocidade, impedidos pelas poças de água.

Por conta da situação do gramado, as chances precisariam vir da bola aérea, artifício adotado pelos dois times após a metade do primeiro tempo. Os dois times tentavam, embora a situação adversa tentasse impedir. Com um bom primeiro tempo, o zero no placar tornou-se a grande injustiça de um primeiro tempo acelerado e de bom futebol até onde se permitiu.

Do fervor ao sereno Mais franca, a segunda etapa começou com os dois times mostrando que não queriam as penalidades. O Azulão comandou as primeiras ações ofensivas, assustando frequentemente a zaga do Sport. No entanto, foi o Leão que mostrou as suas garras de verdade.

Aos oito minutos, Ezequiel cruzou, Parraguez ajeitou e Denner bateu, quase debaixo das traves. O que o meia não imaginava é que Wellington apareceria, em cima da linha, para evitar o primeiro gol da partida. Amornando, o jogo perdeu velocidade.

Tomadas pelo cansaço, as duas equipes pouco ameaçavam. Somente aos 36, dos pés de Rodrigo Rodrigues, que o goleiro Maílson levou verdadeiro susto. O chute veio forte, mas subiu demais, saindo por cima do gol. Com a dificuldade em criar e a exaustão batendo à porta das duas equipes, o jogo ganhou um caráter mais defensivo, com defesa do resultado.

Ao fim, a disputa de pênaltis, que ninguém queria, acabou sendo o desejo de ambos. Classificação nos pênaltis Nas penalidades, quem brilhou foi Maílson. O goleiro decidiu a classificação do Leão. Ao pegar os pênaltis de Wellington, Gabriel e Rodrigo Rodrigues em sequência, Maílson classificou o Sport para as semifinais da Copa do Nordeste.

O Gol 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui