O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ironizou, nesta sexta-feira (11/12), o governo Bolsonaro pela desistência de apresentar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 186/19, a PEC Emergencial, como também pelo fato de não lidar de forma clara com a pandemia da Covid-19. “Para este governo, é até incoerência falar de calamidade. Até hoje não reconheceu a pandemia e que pessoas estão morrendo”, alfinetou.

Maia começou o discurso dizendo que, sem a PEC Emergencial, o Brasil entraria num abismo e criticou a postura do governo de tirar a proposta da Câmara e colocar no Senado só para enfraquecer a Câmara. Ele, então, voltou ao assunto, com tom mais irônico.

“Me assusta a PEC Emergencial. Ela tinha exatamente o papel de nos dar tranquilidade, acabar com a PEC da Guerra, com o estado de calamidade. Até porque, para este governo, é até incoerência falar de calamidade. Até hoje não reconheceu a pandemia e que pessoas estão morrendo. Certamente, para ele, não tem calamidade”, declarou Maia.

O parlamentar participou do seminário 19º Fórum Empresarial Lide e aproveitou o momento para fazer um pequeno balanço e atirar contra o governo, no mesmo dia em que o senador Márcio Bittar (MDB-AC), relator da proposta, anunciou ter desistido de apresentar o relatório neste ano.

Nesta sexta, o país registrou 6.781.799 casos de Covid-19 e 179.765 óbitos. Ao menos em 21 estados, há alta de casos.

Metrópoles 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui