O presidente Luis Arce e seu vice, David Choquehuanca, na cerimônia de posseReprodução/Twitter

O novo presidente da Bolívia, Luis Arce, tomou posse neste domingo (8.nov.2020). Em seu 1º discurso, pregou a união do país.

Arce foi eleito com 55,1% dos votos válidos. Seu principal rival na disputa, o ex-presidente Carlos Mesa, atingiu 29% dos votos, e se recusou a reconhecer a derrota

O novo presidente esteve ao lado de seu vice, David Choquehuanca. Além dos discursos, a cerimônia foi marcada por rituais de povos tradicionais bolivianos.

Durante o discurso, Arce pregou a união disse que o momento representa “o início de uma nova etapa na história do país”.

“A partir de 10 de novembro de 2019, depois de 21 dias em que se escamoteou a vontade popular expressada nas urnas, a Bolívia foi cenário de uma guerra interna e sistemática contra o povo, especialmente os mais humildes”, afirmou.

“Se espalhou morte, medo e discriminação. Encrudesceu o racismo e se usou a pandemia para prorrogar um governo ilegal e ilegítimo. Não é o ódio que impulsiona nossos atos, mas uma paixão pela Justiça”, disse.

Choquehuanca citou os indígenas da Bolívia e os povos originários. Ele ressaltou a necessidade de “conciliar ideias da direita e da esquerda”.

Eis os líderes mundiais que estiveram presentes:

  • Alberto Fernández, presidente da Argentina;
  • Jorge Arreaza, chanceler da Venezuela;
  • Mohammad Yavad Zarif, ministro das Relações Exteriores do Irã;
  • Felipe VI, rei espanhol;
  • Pablo Iglesias, vice-presidente da Espanha e líder do Podemos;
  • Brent McIntosh, subsecretário da Fazenda para Assuntos Internacionais dos Estados Unidos;
  • Iván Duque, presidente da Colômbia;
  • Mario Abdo Benítez, presidente do Paraguai;
  • Martín Torrijos, ex-presidente do Panamá;
  • Wálter Martos, chefe do Conselho de Ministros do Peru;
  • Francisco Carlos Bustillo, chanceler do Uruguai
  • Andrés Allamand, chanceler do Chile.
  • EVO MORALES FESTEJA

Em uma rede social, Evo Morales escreveu que hoje “é um dia histórico”. Ex-presidente da Bolívia e do mesmo partido de Arce, ele está exilado na Bolívia.

“Hoje, 8 de novembro, é um dia histórico para a posse de @LuchoXBolivia e a recuperação da democracia exatamente um ano após o motim policial em 8 de novembro de 2019. Vencemos a batalha apenas com a consciência do povo, sem violência”, escreveu.

Poder360

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui