Operações policiais como a Luz da Infância, realizada ontem, prenderam mais de 1.200 pedófilos desde 2017, mas a legislação frouxa não os mantém longe de crianças por muito tempo. Muitos acabam soltos logo depois do flagrante por serem “réus primários, com trabalho honesto e residência fixa”. A ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) apresentou projeto que busca endurecer penas, mas já foi apensado a outras propostas em uma das muitas gavetas do Congresso. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

A ideia é aumentar em 50% a pena do predador que usa a posição de confiança para atuar, como professores, líderes religiosos, médicos etc.

Pela lei, pedofilia não é crime hediondo e há progressão de regime. Já os traumas causados nas crianças são permanentes e levam até ao suicídio

O governo prepara uma campanha nacional alertando os pais para as táticas dos aliciadores online, especialmente durante essa pandemia.

Os predadores fingem ser crianças para ganhar a confiança das vítimas e conseguir fotos, vídeos ou encontros presenciais, quando atacam.

Diário do Poder 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui