Emerson Fittipaldi (Crédito: Reprodução Instagram)

Bicampeão mundial de Fórmula 1, o ex-piloto Emerson Fittipaldi teve 14 veículos destinados à penhora por decisão do juiz Gustavo Henrique Bretas Marzagão, do Tribunal de Justiça de São Paulo. A decisão foi tomada em um processo no qual a empresa Sax Logística de Shows e Eventos cobra uma dívida de cerca de R$ 416 mil do ex-piloto. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

De acordo com a ação, a empresa foi contratada em 2012 para realizar o processo de liberação na alfândega dos carros e equipamentos necessários para o evento “6 horas de São Paulo”, uma prova de automobilismo do Campeonato Mundial de Marcas.

No entanto, Fittipaldi não teria pagado os valores combinados na íntegra e a dívida, com juros e multa, é calculada hoje em cerca de R$ 416 mil. Entre os veículos penhorados há três motos, três caminhões e oito automóveis, incluindo uma Pajero e um Pontiac. Fittipaldi não apresentou defesa no processo.

Fittipaldi possui uma extensa lista de credores, ao menos 145 processos na Justiça, com valores que somam mais de R$ 55 milhões.

Um dos credores de Fittipaldi é o Banco Safra, que cobra uma dívida de R$ 776,4 mil, também aponta que o brasileiro usa de empresas de fachada para esconder seu patrimônio.

O que diz Fittipaldi?

Em entrevista ao Estadão no final do ano passado, Emerson revelou que está com dificuldades financeiras, mas negou a acusação. Além disso, ele ressaltou que está trabalhando para quitar as dívidas.

“Primeiramente, nunca escondi nenhum patrimônio. Já paguei muita dívida e estou pagando e vou liquidar tudo”, afirmou em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo.

“Os caras inventaram esse negócio, me deixou com uma imagem péssima, foi algo diabólico, e que não tem nada a ver com a realidade”, alega.

Considerado um dos grandes nomes do automobilismo, Fittipaldi foi campeão da Fórmula 1 por duas vezes, mas foi na Fórmula Indy, nos Estados Unidos, que o brasileiro conseguiu construir a maior parte do seu patrimônio após o insucesso da Copersucar-Fittipaldi, primeira scuderia brasileira na Fórmula 1.

Istoé 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui