Ex-senador tinha um esquema de regalias enquanto esteve preso em regime fechado

A Justiça do Distrito Federal condenou o ex-senador Luiz Estevão e quatro agentes do presídio da Papuda por acusações de corrupção passiva. Investigações mostraram que, com a ajuda dos funcionários, o parlamentar tinha um esquema de regalias enquanto esteve preso em regime fechado em 2017. Com a nova condenação, Estevão, que cumpre pena em regime domiciliar, recebeu nove anos, nove meses e nove dias de prisão em regime fechado. Anteriormente, o parlamentar e agentes já haviam sido condenados após uma operação mostrar que na cela do ex-senador tinha cafeteira, chocolates, massas importadas e alguns tipos de itens na cantina do presídio eram destinados apenas ao ex-senador.

Além disso, as investigações apontaram que os advogados de Luiz Estevão frequentavam o local em horários irregulares. Além do ex-senador, outros quatro agentes também foram condenados: Fernando Alves da Silva, Rogério Serrano do Santos, Rogério Serrano dos Santos, Diogo Ernesto de Jesus e Vítor Espíndola Sales de Souza. Eles receberam penas que variam de 1,8 ano a mais de 4 anos.

*Com informações da repórter Katiuscia Sotomayor

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui