Os mandados foram expedidos pelo ministro Alexandre de Moraes, relator da investigação na Corte.

A líder do PSL na Câmara dos Deputados, Joice Hasselmann (SP), afirmou que o fim da linha do esquema das fake news está no Palácio do Planalto. Ela afirmou ainda que o “gabinete do ódio” é comandado pelo filho do presidente e vereador pelo Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro. As informações são do jornal O Tempo.

Nesta quarta-feira (27), a Polícia Federal cumpriu 29 mandados de busca e apreensão no âmbito do inquérito das fake news, aberto pelo Supremo Tribunal Federal. Entre os alvos da operação, estão o dono das lojas Havan, Luciano Hang, o ex-deputado Roberto Jefferson e deputados bolsonaristas.

Os mandados foram expedidos pelo ministro Alexandre de Moraes, relator da investigação na Corte.

Segundo Joice, o esquema de produção de ataques e mentiras contra adversários políticos e a democracia requer uma estrutura robusta que, além de consumir dinheiro público de gabinetes de políticos ligados a família Bolsonaro, conta com financiamento privado de empresários com trânsito constante no Palácio do Planalto.

“O aprofundamento das investigações chegará, inevitavelmente, ao chamado gabinete do ódio, uma espécie de ‘puxadinho’ do gabinete presidencial, de onde Carlos Bolsonaro comanda uma verdadeira milícia digital, que inclui políticos, assessores parlamentares, empresários e blogueiros”, diz a nota de Joice enviada ao jornal o Tempo.

Para a deputada, é evidente “o motivo do desespero do presidente em interferir na Polícia Federal para, segundo o próprio, proteger seus filhos e amigos de operações em curso, o que, por si só, já se configura em crime de obstrução de justiça”.

Joice foi uma das pessoas ouvidas pela CPMI das Fake News do Congresso e detalhou como seria a atuação do grupo que ficou conhecido como “gabinete do ódio” da Presidência da República.

Istoé 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui