Diego Alves falhou em saída de bola logo no primeiro minuto, em lance que resultou no primeiro gol do Palmeiras. Neste domingo, no Mané Garrincha, o vilão virou herói. A partir de então, o goleiro fez uma partidaça e, depois de um 2 a 2 no tempo normal de pura trocação, Diego Alves brilhou nos pênaltis para garantir o bicampeonato da Supercopa do Brasil para o Flamengo.

Campeão ano passado em cima do Athletico Paranaense, o Rubro-Negro voltou ao Mané Garrincha para vencer novamente a Supercopa, dessa vez em uma partida dramática.  Primeiro tempo de tirar o fôlego O início de jogo do Palmeiras foi arrasador. Logo no primeiro minuto, Diego Alves errou em saída de jogo, Felipe Melo fez o corte e Raphael Veia tirou de Arão com um toque de craque antes de finalizar de canhota para marcar um verdadeiro golaço!

O Palmeiras ganhou força com o lance e seguiu em cima. Encontrando espaço para contragolpes, os palmeirenses ameaçaram com Rony e Zé Rafael, mas Diego Alves se redimiu da falha no gol.  O Flamengo, apesar de sofrer nos contragolpes do rival, foi reagindo aos poucos. Diego e De Arrascaeta foram os primeiros a arriscar e levaram perigo em chutes de fora.

Aos 22 minutos, De Arrascaeta, destaque rubro-negro na primeira parte, abriu bola para Filipe Luís. O lateral fez grande jogada na área e acertou o poste. No rebote, Gabigol empatou.  O primeiro tempo seguiu eletrizante, e Wesley teve tudo para dar de novo a vantagem aos paulistas. O atacante tirou até Diego Alves do lance, mas Diego salvou em cima da linha.

Apesar da falha inicial, Diego Alves fez um bom primeiro tempo, com defesas importantes. O Alviverde exigiu bastante do goleiro e, aos 42, ainda lamentou um pênalti que deixou de ser marcado com o auxílio do VAR.  Um primeiro tempo cheio de acontecimentos, entre eles a expulsão do técnico Abel Ferreira, terminou com mais um gol. De Arrascaeta levou bola para a perna direita e acertou um belo chute para balançar a a rede.

Palmeiras aperta, marca e recua A segunda etapa também prometeu ser eletrizante. Logo em um dos primeiros ataques, Wesley ameaçou em chute de fora da área. Na resposta flamenguista, Gabigol parou em defesa de Wéverton.  Diego Alves também continuou como um dos personagens do encontro. O goleiro fez uma defesaça em cabeçada de Gustavo Gómez e negou mais uma vez o gol.

Perigoso no primeiro tempo principalmente em contra-ataques, o Palmeiras tentou ser mais proativo no segundo tempo. Passou a controlar mais a bola e a trocar passes em busca de espaços no ataque.  Aos 26 minutos, Rony avançou na área e foi puxado por Rodrigo Caio. O árbitro marcou pênalti, e dessa vez o VAR confirmou. Na cobrança, Raphael Veiga empatou novamente o duelo.

O Fla, então, voltou a tomar as rédeas do jogo. Vitinho, que saiu do banco, quase marcou o terceiro gol em chute no cantinho. A bola pegou na trave e voltou em Wéverton. A pressão carioca seguiu e, no último lance, Wéverton salvou em cima da linha uma tentativa de Gabigol e levou a decisão para os pênaltis.

O gigante Diego Alves Destaque individual da partida, Raphael Veiga abriu a cobrança dos pênaltis com gol. O nome da partida que vestiu rubro-negro, De Arrascaeta, deixou tudo igual.  Filipe Luís foi o craque que não levou sorte.

O lateral tentou tirar ao máximo de Wéverton, e acabou acertando o travessão. Wéverton defendeu a cobrança seguinte dos cariocas, de Matheuzinho.  O Flamengo contou com Diego Alves, que pegou o pênalti de Luan, e com o nervosismo de Danilo, que acertou a trave, para seguir vivo na disputa.

Nas cobranças alternadas, Diego Alves defendeu as cobranças de Gabriel Menino e Mayke, e Rodrigo Caio confirmou o bicampeonato flamenguista.

O Gol

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui