O presidente do PT da Paraíba, Jackson Macêdo, um dos signatários do manifesto de 113 filiados do partido em defesa da filiação do ex-governador Ricardo Coutinho e dos deputados estaduais do PSB à legenda, afirmou que o debate da entrada de Ricardo ao PT é diferente do debate das alianças, dando a entender que, do seu ponto de vista, não haveria problema em o PT continuar aliado a João Azevêdo (Cidadania) – que já declarou que não “existe a menor possibilidade” de que ele divida o mesmo palanque político que o ex-governador.

“São coisas distintas. Como disse a presidente [nacional do PT] Gleisi [Hoffman] a filiação do [ex] governador Ricardo Coutinho e das lideranças do PSB é um debate que passa por uma questão da entrada deles no partido, não está vinculado à tática eleitoral das alianças que o PT vai fazer para as eleições de 22. Uma coisa é a filiação de Ricardo e os deputados do PSB, outra coisa é a tática eleitoral, ou seja, o que PT vai fazer em 22, se vai apoiar candidatura A ou B, se terá candidatura a governador, esse debate não aconteceu ainda no PT”, avisou.

De acordo com Jackson, em entrevista ao programa Rede Verdade, quem vai conduzir esse debate vai ser o ex-presidente e pré-candidato à presidência da República no ano que vem, Lula. Ele ressalta a “defesa incondicional” da entrada de Ricardo à legenda.

“Isso vai ser coordenado pelo presidente Lula, que vai liderar esse debate em todos os estados, através da direção nacional com o acompanhamento das direções estaduais. Então o manifesto é muito claro: a defesa incondicional de ter um companheiro valoroso como Ricardo que tem história na esquerda paraibana e no nosso partido”, finalizou.

PB Agora

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui